Indígenas do território Cana Brava entram com ação na Justiça para pagamento de seguro-saúde

Indígenas do território Cana Brava moveram uma ação civil pública contra a União, pedindo o pagamento de um salário mínimo para cada membro da aldeia, como um tipo de seguro-saúde, até que polos e casas de saúde sejam construídos. O pedido inclui ainda uma indenização de R$ 100 milhões, por conta dos serviços prestados no território.

A ação já foi enviada à Justiça Federal, e relata o descaso no atendimento de saúde. Segundo a denúncia, não há médicos, remédios, postos de saúde, transportes e até mesmo água potável. De acordo com a assessoria jurídica da aldeia, a ação visa recuperar os direitos dos indígenas e sanar os problemas apresentados.

O conselho de caciques requer que o Governo Federal pague pelo descaso na saúde de quatro territórios: Cana brava, Lagoa Cumprida, Rodeador e Urucú e Juruá.

Os indígenas da região fizeram quatro bloqueios na BR-226, entre Barra do Corda e Grajaú, para protestar contra a precariedade na saúde das aldeias. A bancada de deputados maranhenses em Brasília esteve no local, negociando com os índios, e prometeram intervir para a resolução do problema.