Entidades se reúnem no Maranhão para discutir sobre conflitos no campo

É cada vez mais tensa a situação dos conflitos de terra envolvendo famílias do campo no interior do estado. Para discutir a violência que é cada vez mais frequente e tem elevado o número de vítimas, será realizada uma audiência pública na Defensoria Pública do Maranhão.

A audiência será feita pela Comissão Nacional dos Bispos do Brasil, com a participação do Ministério Público Federal, da Defensoria Pública da União, representantes da Organização das Nações Unidas (ONU) e do Conselho Nacional de Direitos Humanos.

A programação, que começou ontem (20), ocorre até o dia 26 de junho, quando o Maranhão receberá importantes instituições de combate à violência no campo.

Confira a programação dos próximos dias:

  • No dia 21 de junho a missão estará em Cedro, em Arari (uma das áreas de mais conflito no campo);
  • No dia 22 de junho, a missão estará em Brejo e Caxias;
  • No dia 25, a missão estará em Alcântara;
  • No dia 26, encerramento da audiência pública.

A ação tem por objetivo montar um relatório-denúncia das violações de direitos humanos e do não-acesso à terra sofrida pela população de alguns territórios maranhenses nos munícipios Arari, Caxias, Brejo e São Luís. O material será utilizado para realização de denúncias para organismos nacionais e internacionais.