Indígenas relatam casos de doenças por causa das condições sanitárias no Alto Turiaçu

Indígenas da etnia Guaja Cocal no município de Araganã, região noroeste do Maranhão, denunciam que o local não tem rede elétrica e o abastecimento de água depende de um motor gerador, que quebrou há três meses.

Com isso, a comunidade tem usado a água de um poço – suja e não tratada – para todas as necessidades.

A aldeia tem 39 famílias e 157 indígenas, e boa parte das crianças e idosos estão doentes. O Serviço de Edificações e Saneamento Ambiental Indígena, responsável pelo abastecimento da aldeia, disse que já encaminhou uma equipe para tratamento da água, mas que a compra de um novo gerador necessita de licitação sem previsão.

A Associação dos Indígenas precisou comprar um novo gerador, porém ainda sem previsão de entrega. Já a FUNAI não se manifestou sobre o caso.