Pobreza menstrual: um problema de saúde pública

Uma pesquisa divulgada nesta terça-feira (14), realizada pela Johnson & Johnson Consumer Health em parceria com os Institutos Kyra e Mosaiclab, teve como objetivo levantar informações sobre o grau de conhecimento de um problema que afeta milhões de brasileiras, identificar seus hábitos e dar visibilidade ao tema. A pobreza menstrual, também chamada precariedade menstrual, representa muito mais que a falta de dinheiro. Ela perpassa pela vergonha de jovens adolescentes que sem condições de acesso a produtos de higiene adequados, faltam a escola. Além do problema denunciar a falta de acesso à água, saneamento básico, e desigualdade social, ainda afeta a saúde física e mental das pessoas que menstruam.

Assim, 28% das mulheres de baixa renda são afetadas diretamente pela pobreza menstrual, e 94% delas não sabem o que é pobreza menstrual, logo não conseguem identificar quando vivem uma realidade de vulnerabilidade. Sendo importante ressaltar também que 30% das mulheres conhecem alguém que vive tal realidade.

Um fator alarmante é o número de mulheres que vivem a precariedade menstrual e fazem uso de produtos não indicados para absorver a menstruação durante o período, dentre eles: sacos plásticos, sacolinha de supermercado, roupas velhas, algodão, lencinho umedecido descartável, toalhas, panos, filtro de café, lenços de papel, papel higiênico e até mesmo jornal ou miolo de pão.

Afetando não só a dignidade quanto a saúde destas, já que dados mostram que muitas destas mulheres foram afetadas por problemas vaginais nos últimos 12 meses: 28% tiveram infecção urinária ou cistite; 24% tiveram candidíase; 11% infecção vaginal por fungo e 7% infecção vaginal por bactéria.

Com a intenção de combater a precariedade menstrual, que significa a falta de acesso ou a falta de recursos para a compra de produtos de higiene e outros itens necessários ao período da menstruação feminina, faz-se necessário primeiramente falar sobre o tema e torna-lo conhecido para que assim a luta seja estabelecida contra um problema de saúde pública.

Com informações da uol