Pelo menos quatro maranhenses estão desaparecidos no naufrágio na Guiana Francesa

Dos 19 brasileiros que desapareceram na costa da Guiana Francesa, pelo menos 4 maranhenses fazem parte do grupo. A embarcação saiu de Oiapoque, no extremo norte do Amapá, com destino a Caiena, na Guiana Francesa e desapareceu no dia 28 de agosto. Através das redes sociais, o Senador Weverton Rocha, informou que há maranhenses de Turilândia desaparecidos no naufrágio.

Os parentes dos desaparecidos reclamam sobre a falta de informações que ajudem a localizá-los. A canoa saiu clandestinamente do extremo norte do Amapá em direção à capital da Guiana. Os tripulantes iam em busca de melhores condições de trabalho no país.

Janilde Almeida, mãe do maranhense Carlos Adriano de 22 anos, afirma que está desesperada com falta de informações do filho. “Estou morrendo aos poucos, sem saber o que aconteceu com ele, não sei onde ele está ”. A última vez que a família recebeu informações de Adriano ele estava prestes a embarcar ao lado da namorada Karine, da mãe e de uma irmã da jovem.

Maria da Conceição Silva Santos, conhecida como Silvia, de 58 anos, nasceu no Maranhão mas vivia com a família em Roraima antes de morar por temporadas no Suriname. Ela viaja há mais de 20 anos pela região para trabalhar em garimpos. O último contato que ela teve com a família foi em Manaus, em 26 de agosto, 2 dias antes do embarque em Oiapoque.

Brasileiros que vivem no país tem enviado informações pelas redes sociais e ajudado com voluntários para tentar localizar as possíveis vítimas. Pescadores locais afirmaram que avistaram dois corpos boiando no mar, mas que não foi possível identificar e fazer a remoção dos corpos.