O Brasil garantiu ao menos duas medalhas de bronze no tênis de mesa na Paralimpíada de Tóquio (Japão) com a classificação da paulista Cátia Oliveira e da catarinense Bruna Alexandre às semifinais individuais. A primeira a avançar foi Cátia, ao derrotar a italiana Giada Rossi, número 1 do mundo, por 3 sets a 0, no individual feminino da classe 1-2 (cadeirantes). 

A paulista, de 30 anos, disputa a a semi à 0h20 (horário de Brasília) deste sábado (28) contra a sul-coreana Su Yeon Seo, atual campeã mundial e vice-campeã olímpica. A partida será no Ginásio Metropolitano da capital japonesa. Se levar a melhor, a paulista disputará o ouro na sequência, às 7h15. 

“Estava bem nervosa depois da derrota que tive no jogo da fase de grupos. Mas consegui colocar a cabeça no lugar, entrei bem focada, com a estratégia bem acertada. Ainda não acabou. Amanhã tem outra pedreira. Vamos passo por passo, jogo por jogo”, disse a brasileira, vice-campeã mundial na classe 2, em depoimento à Confederação Brasileira de Tênis de Mesa (CBTM).

Quem também disputa a semi, a partir de 1h40 deste sábado (28), é Bruna Alexandre, cuja adversária ainda não está definida. Se vencer, a catarinense terá pela frente na final quem ganhar no confronto entre Tien Shiau Wen (Taiwan) e Merve Demir (Turquia). A decisão do ouro será às 6h45 de segunda -feira (30).

Após a vitória na estreia ontem (26), também por 3 sets a 0, Bruna Alexandre, de 26 anos, avançou direto à semi, ao ficar em primeiro lugar no Grupo B após ganhar nesta manhã da taiwanesa Lin Tzu Yu, por 3 a 0 (11/8, 11/8 e 11/7),  na classe 10 (andantes).  A catarinense já coleciona duas medalhas paralímpicas – bronze individual e por equipes – conquistadas na Rio 2016. 

“No Aberto da China, eu tomei um sarrafo dela [Lin Tzu Yu], perdi por 3 a 0! E hoje eu vi o quanto eu evoluí. Estou muito feliz”, vibrou a catarinense de Criciúma. 
O paulista Carlos Carbinatti, da classe 10 (andantes), segue com chances de classificação à fase eliminatória, embora tenha perdido nesta madrugada para o austríaco Krisztian Gardos, por 3 a 1 (11/6, 9/11, 5/11 e 9/11), na última rodada do grupo D.