Dois suspeitos são indiciados pela morte do médico Bruno Calaça

Prestes a completar um mês do assassinato do médico Bruno Calaça, a Delegacia de Homicídios concluiu o inquérito e indiciou dois dos três suspeitos de envolvimento na morte do jovem. O policial militar Adonias Sadda irá responder por homicídio duplamente qualificado e o bacharel em direito Ricardo Barbalho por ameaça e lesão corporal.

De acordo com o Delegado de Homicídios, Praxístes Martins, o terceiro suspeito de envolvimento no crime, o pecuarista Waldex Cardoso não foi indiciado pois não houve como comprovar a participação do pecuarista.

O encerramento do inquérito aconteceu no mesmo dia em que o médico completaria 24 anos. Bruno Calaça Barbosa foi morto a tiros no mês passado em Imperatriz. O jovem era recém-formado no curso de medicina e estava em uma festa na Avenida Beira-Rio, quando foi atingido por um tiro no peito.