Instituições e autoridades lamentam a morte do líder sindical Manoel Conceição

Com morte do líder sindical, Manoel Conceição nesta quarta-feira (18) instituições e autoridades prestaram homenagens e lamentaram a perda de um dos maiores articuladores da luta camponesa.

O governo do Maranhão através de uma nota oficial prestou condolências à família e enalteceu a luta camponesa em resistência ao regime do país. Manuel começou organizando o sindicato de trabalhadores rurais no Vale do Pindaré, posteriormente contribuiu na organização de entidades importantes no cenário nacional como a Central Única dos Trabalhadores (CUT), o Partido dos Trabalhadores (PT) e o Centro de Educação e Cultura do Trabalhador Rural (CENTRU).

Nas redes sociais o governador do Maranhão, Flávio Dino afirmou a importância da luta travada pelo amigo e agradeceu a contribuição deixada por Manoel “Minhas homenagens ao líder das lutas camponesas no Maranhão, o amigo Manoel da Conceição. Na ditadura, foi preso, torturado e exilado. Anistiado, voltou ao Brasil e muito contribuiu com projetos de educação e produção sustentável”, declarou.

A Assembleia Legislativa do Maranhão decretou luto oficial de três dias durante a sessão plenária em Imperatriz. O chefe do parlamentar deputado Othelino Neto (PCdoB), também solicitou um minuto de silêncio em homenagem ao maranhense.

O parlamentar frisou, ainda, que o legado de luta e coragem deixado por Manoel da Conceição não deve ser esquecido. “Homens como ele partem para outro patamar, mas deixam viva a história que construíram. Por isso, merece todas as nossas homenagens”, concluiu .

A Universidade Federal do Maranhão (UFMA) também se manifestou sobre o falecimento e relatou toda a história de vida do líder político junto a herança deixada por ele.“Manoel da Conceição Santos, nascido no Vale do Itapecuru, cidadão do Brasil e do Mundo: um lutador incansável, um coração generoso, doutor dos mistérios da natureza e das relações humanas foi um homem imprescindível”afirmava um dos trechos da nota.