Com quatro convocados disputando Copa do Brasil, CBF promete alterar calendário

Com cinco jogadores que atuam no futebol brasileiro convocados para os próximos três jogos da seleção nas Eliminatórias, a CBF prometeu alterar o calendário de jogos envolvendo os times brasileiros que tiveram atletas convocados por Tite nesta sexta-feira. Assim, o São Paulo de Daniel Alves, o Atlético-MG de Guilherme Arana, e o Flamengo de Everton Ribeiro e Gabriel Barbosa, deverão ter suas partidas de volta das quartas de final da Copa do Brasil com as datas alteradas. O quinto convocado é Weverton, do Palmeiras, mas o clube paulista já está fora da competição de mata-mata.

“Nós já conversamos com o Manoel Flores, que é o diretor de competições (da CBF), que pediu para deixar um recado: hoje mesmo (sexta) será publicado um ajuste no calendário, exatamente para que evite esses conflitos com os clubes brasileiros que tiveram jogadores convocados”, afirmou o coordenador da seleção, Juninho Paulista, logo após o anúncio dos convocados para os jogos com Chile, Argentina e Peru, no início do próximo mês.

Inicialmente, os jogos de volta das quartas de final estavam marcados para a primeira semana de setembro, justamente no período em que a seleção estará reunida para as partidas das Eliminatórias, marcada para os dias 2, 5 e 9 do próximo mês.

Dos que atuam no futebol brasileiro, dois estiveram recentemente na campanha do ouro olímpico, Daniel Alves e Guilherme Arana. Segundo a comissão técnica, o desempenho deles nos Jogos de Tóquio ajudaram a garantir a convocação para a equipe principal

“A capacidade que ele (Daniel Alves) tem de se reciclar, de estar aberto – e isso na seleção olímpica ele também estava – a passar e repassar seus conhecimentos, a ter sempre uma visão otimista e desafiadora por novas conquistas, e o seu comportamento em relação ao treinamento, dentro e fora do campo, são exemplares”, comentou Tite. “Ele traduz muito a liderança em seu comportamento.”

O auxiliar Cesar Sampaio, por sua vez, enalteceu o lateral do Atlético. “Arana teve uma performance equilibrada, um jogador constante na fase defensiva, e oportuno, entendendo os espaços e ocupando esses espaços, na fase ofensiva. Foi uma das forças nessas Olimpíadas, nas ações e assistências para o gol.”