Organização dos Jogos de Tóquio-2020 define limite de 10 mil pessoas por sede

Depois de muita indefinição e especulação, o Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020 e o governo do Japão tomaram uma decisão nesta segunda-feira sobre a presença de público nos locais de competição do evento que começará no dia 23 de julho. A Olimpíada terá o limite máximo de 10 mil espectadores em cada sede, mas com um alerta para a possibilidade de portões fechados em caso de aumento dos contágios de covid-19.

Em um comunicado oficial, a organização explica que o limite será de 50% do local de competição, até o máximo de 10 mil espectadores. “Se houver uma mudança dramática na situação da infecção, talvez precisemos revisar a norma e considerar a opção de não ter espectadores nos locais de competição”, disse Yuriko Koike, a governadora de Tóquio.

Em março, os organizadores já haviam decidido vetar a presença de espectadores procedentes do exterior devido ao risco de saúde considerado muito elevado para a população japonesa, algo inédito na história olímpica.

Nesta segunda-feira, a reunião em Tóquio teve a presença de representantes de cinco instituições: o Comitê Organizador de Tóquio-2020, o governo japonês, o governo da cidade de Tóquio, o Comitê Olímpico Internacional (COI) e o Comitê Paralímpico Internacional (IPC, na sigla em inglês).

O Comitê Organizador de Tóquio-2020 afirmou ainda no comunicado oficial que a decisão sobre o número de torcedores nos Jogos Paralímpicos, que acontecerão de 24 de agosto a 5 de setembro, foi adiada para o dia 16 de julho.

Em uma mensagem enviada às autoridades japonesas no início da reunião, o presidente do COI, o alemão Thomas Bach, afirmou que a entidade apoiaria “totalmente a decisão que busca proteger da melhor maneira” a população japonesa e os participantes. Também reiterou que mais de 80% dos residentes da Vila Olímpica serão vacinados, assim como quase 80% dos jornalistas.

Neste final de semana, a governadora de Tóquio anunciou o cancelamento de seis “Fan zones”, que seriam construídas para que o público acompanhasse nas ruas as competições da Olimpíada. A medida visa evitar aglomerações para reduzir oportunidades de contágio da covid-19. “Para compensar, vamos usar ainda mais a web para criar uma atmosfera dos Jogos e divulgar várias informações culturais”, disse Koike.

A governadora também anunciou a suspensão da visitação pública a instalações olímpicas, que passarão a ser utilizadas como centros de vacinação. Trabalhadores envolvidos na organização dos Jogos começaram a ser vacinados na última sexta-feira e a expectativa é que o processo seja acelerado para atingir o porcentual o mais alto possível antes do início do evento. “Acredito que são medidas necessárias, quando olhamos de diferentes perspectivas, para Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de sucesso”, completou.