ONU: ataques israelenses em Gaza podem ser crimes de guerra

A alta comissária dos Direitos Humanos da ONU, Michelle Bachelet, disse nesta quinta-feira (27) que os ataques israelenses letais em Gaza podem constituir crimes de guerra e que o grupo islâmico Hamas também violou a lei humanitária internacional disparando foguetes contra Israel.

Bachelet afirmou que seu escritório verificou 270 mortes de palestinos em Gaza, na Cisjordânia e em Jerusalém Oriental, incluindo 68 crianças, durante os episódios de violência deste mês. A maioria morreu em Gaza, controlada pelo Hamas, onde Israel enfrentou militantes durante 11 dias, em conflito que terminou com um cessar-fogo.

Os foguetes do Hamas mataram dez israelenses e moradores.

Bachelet falou em sessão especial do Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU), realizada a pedido de Estados muçulmanos que solicitaram que o fórum crie uma comissão de inquérito para investigar possíveis crimes e determinar as responsabilidades.

“Apesar das afirmações de Israel de que muitos dos edifícios [em Gaza] estavam abrigando grupos armados ou sendo usados para propósitos militares, não vimos indícios a esse respeito”, acrescentou.

“Se considerados indiscriminados e desproporcionais, tais ataques podem constituir crimes de guerra”, disse Bachelet ao fórum de 47 membro. Ela também pediu ao Hamas que se abstenha de disparar foguetes indiscriminadamente contra Israel.

Referindo-se aos 4.400 foguetes disparados, ela afirmou: “Cada um desses foguetes constitui um crime de guerra”.