Governo do Maranhão autua Bolsonaro por ‘infração sanitária’ na pandemia

O governo do Maranhão multou nesta sexta-feira, 21, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) por descumprir as medidas sanitárias para enfrentamento da pandemia em vigor no Estado.

O auto de infração cita como irregularidades a falta do uso de máscara de proteção facial e a promoção de evento com aglomeração em Açailândia, onde o presidente esteve para entrega simbólica de títulos de terra.

Procurado pelo Estadão, o governo afirmou que a multa pode variar de R$ 2 mil a R$ 1,5 milhão. Bolsonaro tem 15 dias para apresentar a defesa e, depois disso, a autoridade sanitária vai definir o valor da multa.

O auto de infração sanitária cita o decreto estadual número 36 203, de 30 de setembro de 2020, norma desrespeitada pelo presidente. A multa também usa o nome completo do presidente e o endereço do Palácio do Planalto. Diz o texto: “Descumprimento da obrigação do uso de máscara de proteção como medida farmacológica destinada a contribuir para a contenção e prevenção da covid-19, em locais de uso coletivo, ainda que privados. Promover, em evento da Presidência da República, aglomerações sem controle sanitário com mais de 100 (cem) pessoas, no endereço Rodovia BR-22, S/N, KM-5, no Sindicato dos Produtores Rurais, Bairro: Parque das Nações, município: Açailândia”.

Em Açailândia, Bolsonaro participou da entrega de títulos de propriedade rural. A cidade fica no trajeto que o presidente fez para ir da capital do Estado até Imperatriz. Ele fez uma parada não programada no município de Macabeira e aproveitou para cumprimentar apoiadores. No caminho, o mandatário não usou máscara e provocou aglomerações e posou para fotos. A interação com eleitores foi transmitida ao vivo pelas redes sociais.

No Maranhão, 185 mil pessoas já foram infectadas pelo novo coronavírus e 3.482 já morreram. Na capital, uma multidão o esperava no Aeroporto Marechal Hugo da Cunha Machado e, logo em seguida, ele seguiu para Bacabeira, onde inaugurou um trecho de 3,7 km da BR-135, que está sendo reconstruída pelo Exército Brasileiro.

Procurada no início da noite para se manifestar sobre a multa, a Presidência da República ainda não tinha respondido até a publicação deste texto.