Prefeitura inicia vacinação contra Covid-19 de pessoas em situação de rua

Pessoas em situação de rua começaram a receber a primeira dose da vacina contra a Covid-19 em São Luís nesta quinta-feira (20), em mais uma etapa do plano municipal de vacinação da Prefeitura. A vacinação é voltada para o grupo atendido nos dois Centros de Referência Especializado para Pessoas em Situação de Rua (Centro Pop) da capital e se estenderá, também, a pessoas em situação de rua que não buscam os serviços ofertados por essas unidades institucionais. 

A ação está sendo coordenada pela Secretaria Municipal da Saúde (Semus) em parceria com a Secretaria Municipal da Criança e Assistência Social (Semcas), responsável pela execução do Serviço Especializado para População em Situação de Rua (Centro Pop), e atende às diretrizes do Plano Nacional de Imunização (PNI), do Ministério da Saúde, que inclui pessoas em situação de rua entre os públicos prioritários.

O atendimento começou pelos dois Centros Pop mantidos pela Prefeitura, localizados nos bairros Centro, onde foram aplicadas 70 doses de vacina, e Cohab-Anil, que atendeu 30 pessoas. Foi aplicada a vacina da AstraZeneca e a segunda dose será administrada dia 12 de agosto. 

De acordo com a titular da Semcas, Rosângela Bertoldo, a meta é vacinar até o início da próxima semana todos aqueles que aceitarem receber a primeira dose do imunizante.

“O prefeito Eduardo Braide tem muita sensibilidade no atendimento das pessoas em situação de rua, em São Luís, pois se trata de uma população altamente vulnerável. Por isso, a vacina é fundamental para o reforço da saúde destas pessoas, motivo pelo qual eles foram incluídos entre os grupos prioritários”, disse. 

Adesão 

A vacinação não é obrigatória, por isso, as equipes da Semcas têm realizado um trabalho de sensibilização para que estes cidadãos adiram à campanha de vacinação contra Covid-19. 

Euclides Silva Moreira, 50 anos, é atendido pelo Centro Pop Centro desde 2017 e foi um dos vacinados. “A gente fica muito emocionado. Existe um preconceito muito grande contra a gente que vive nas ruas. Essa vacina é mais uma proteção para a gente e a garantia de que as pessoas não vão olhar para a gente como pessoas doentes”, afirmou. 

Raquel Abreu Chaves, 32 anos, também tomou a primeira dose da vacina no Centro Pop Centro. “Tem uns dois anos que eu frequento o Centro Pop e recebo os atendimentos que eles oferecem para a gente. Poder tomar essa vacina aqui é um benefício muito grande”, comentou. 

Por meio de um trabalho conjunto entre a Semus e a Semcas, a população em situação de rua que não está cadastrada nos Centros Pop também receberá a primeira dose da vacina. Para isto, equipes volantes da Semus acompanhadas de equipes do Serviço Especializado em Abordagem Social da Semcas irão percorrer pontos estratégicos da cidade onde estas pessoas costumam se concentrar.