Dia do Jornalista: maranhenses contam sobre os desafios da profissão durante a pandemia

Dificilmente alguém imaginou o cenário crítico e de incertezas que estamos vivendo com essa pandemia. Em meio a tudo isso, médicos, enfermeiros e outros profissionais da saúde têm se destacado pelo valioso trabalho realizado. Mas não podemos esquecer de outro profissional que também exerce um papel fundamental: o jornalista.  Com o propósito de manter a sociedade bem informada, os jornalistas enfrentam a missão de se manter longe do vírus, apesar de o trabalho ser feito na rua. O jornalista é linha de frente dos fatos, dos riscos e desafios.

A profissão exige um olhar apurado quanto aos acontecimentos, sensibilidade e empatia para que a confiabilidade da notícia seja repassada de forma autêntica. E hoje, dia 07 de abril, é celebrado no Brasil, o Dia do Jornalista. Então, nada melhor do que aproveitar a data para mostrar um pouco os desafios da profissão, especialmente diante da pandemia da Covid-19.

A jornalista e repórter da TV Difusora, Andressa Miranda é apaixonada pela profissão e destaca os desafios em levar informação nesse período de pandemia aos telespectadores: “Além de ser desafiante, a nossa profissão também traz um pouco de temor. A gente tem que se resguardar, mas prosseguir, porque a informação nunca para e nós estamos aqui como um meio de comunicação e esse meio de comunicação é feito por pessoas” destacou a repórter.

Andressa Miranda – Repórter da TV Difusora

O jornalista Thiago Fontoura destaca a importância em ter um olhar mais sensível com os problemas e ressalta que esse é o seu desafio diário ao fechar a edição do Jornal da Difusora todas as noites. “A informação é uma das principais armas nessa pandemia. Levamos a informação até a casa das pessoas, até mesmo nas maiores adversidades. Se não fosse o trabalho incessante dos jornalistas, não só no caso do coronavírus, muito mais pessoas estariam sendo afetadas por falsas verdades”.

Thiago Fontoura – Editor Chefe do Jornal da Difusora

Ingrid Azevedo é jornalista e durante a pandemia passou a trabalhar em home office. “Para quem estava acostumado com o ritmo acelerado do ambiente de trabalho, trabalhar em casa é um pouco estranho, mas a gente se adapta. Acaba que você adquire outra rotina”, diz.

Ingrid acredita que o jornalismo é essencial na luta contra o vírus: “Acredito que a comunicação, o jornalismo em si, atua como um difusor nesse momento de pandemia, no combate de fake news, na luta contra a propagação do vírus. Ao levar informação séria e de qualidade para todos, vamos conseguir vencer e ajudar mais pessoas”.

Ingrid Azevedo – Jornalista

A jornalista e produtora Aline Cantanhede trocou o curso de publicidade e propaganda a pelo curso de jornalismo. Ela se descobriu apaixonada pela profissão ao conhecer os bastidores de um veículo de comunicação. “Um dos maiores desafios da produção é a responsabilidade de buscar a informação para transmitir ao público. São muitos detalhes que precisam ser revisados antes de repassar a notícia e às vezes o tempo de apuração é curto, mas não podemos errar. Trabalhados para garantir a relação de parceria e credibilidade com o telespectador. Todos os dias nos desafiamos a conseguir a informação mais detalhada e precisa possível” destacou a jornalista.

Aline Cantanhede – Jornalista e produtora

Thamires Garces, jornalista recém formada, analisa que a pandemia mudou diversos hábitos comuns do nosso dia a dia, incluindo a forma de ensinar e aprender.

“Foi muito desafiador se formar em um ano de pandemia. Tivemos que lidar com as expectativas criadas nesses quatro anos de curso. Nós imaginávamos que nessa reta final teríamos confraternizações, mas nada disso foi possível”. Para Thamires, o jornalismo precisa acontecer independente de qualquer cenário “o jornalismo acontece no aqui e no agora”.

Thamires Garces – Jornalista

Esses caçadores de notícias, direta ou indiretamente, estão presentes no nosso dia a dia, compartilhando fatos que acontecem no mundo por meio de uma linguagem clara, objetiva e acessível. Por isso, é tão importante parabenizá-los e destacar as suas contribuições para a formação de uma sociedade cada vez mais informada.

7 de Abril

O Dia do Jornalista, comemorado em 7 de abril,foi instituído em 1931 por decisão da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), como homenagem ao médico e jornalista Giovanni Battista Líbero Badaró, morto por inimigos políticos em 1830. A morte de Badaró alimentou ainda mais a crise que começava a se instaurar no império de D. Pedro I.

O profissional participou de diversas lutas a favor da independência do Brasil. Além disso, Badaró era proprietário do jornalObservador Constitucionale um dos principais motivadores da liberdade de imprensa. Esse foi um dos fatores que levaram à renúncia de D. Pedroem7 de abril de 1831.