Ministério da Saúde confirma antecipação da vacinação de profissionais da força de segurança

O secretário de Estado da Saúde do Maranhão, Carlos Lula, solicitou ao Ministério da Saúde a antecipação da vacinação de profissionais da força de segurança durante a 3ª Reunião Ordinária da Comissão Intergestores Tripartite, em Brasília, na terça-feira (30). A proposta apresentada pelo secretário, que também é presidente do Conselho Nacional de Secretários da Saúde (Conass), visa a imunização do grupo envolvido no enfrentamento à Covid-19.

“A nossa proposta é que, sem prejudicar a continuidade da vacinação dos grupos prioritários, como idosos e pessoas com comorbidade, a partir da próxima distribuição a gente já pudesse iniciar a vacinação dos profissionais de segurança e salvamento, que estejam diretamente envolvidos no enfrentamento da pandemia”, propôs.

A solicitação é para a inclusão dos profissionais envolvidos no transporte de pacientes com Covid-19, apoio às ações de vacinação e de vigilância. Além destes, devem ser inseridos também os profissionais que atuam em serviços de atendimento de urgência a traumas e acidentes.

Em resposta, o Ministério da Saúde divulgou nota técnica, nesta quarta-feira (31), confirmando a antecipação do envio de doses de vacinas contra a Covid-19 para o grupo de forças de segurança, salvamento e forças armadas. O documento ressalta critérios para vacinação do grupo, dos quais estão inseridos: trabalhadores envolvidos no atendimento e/ou transporte de pacientes; e resgates e atendimento pré-hospitalar; nas ações de vacinação contra a Covid-19; e, envolvidos nas ações de vigilância das medidas de distanciamento social, com contato direto e constante com o público independente da categoria.

Segundo a nota, os profissionais da segurança pública e forças armadas que não se enquadram nestas categorias serão vacinados de acordo com o andamento da Campanha Nacional de Vacinação Contra a Covid-19.