Um ano após o primeiro óbito por Covid-19, Maranhão bate recorde de mortes diárias

O Maranhão registrou o primeiro óbito pelo novo coronavírus em 29 de março de 2020. Tratava-se de um cidadão de 49 anos, morador de São Luís, que estava internado em um hospital da capital e tinha histórico de comorbidades.

Nesta segunda-feira (29), um ano depois, o Maranhão registrou  seu maior número de mortes por Covid-19 em 24 horas. Foram contabilizados 42 óbitos, um recorde durante a pandemia, superando a marca anterior que era de 39, calculada no último domingo (28). Com isso, o total acumulado é de 5.991 vidas perdidas para a doença até o momento.

Além disso, o número de casos confirmados pela Secretaria Estadual da Saúde continua alto. O balanço ganhou a confirmação de 14.957 casos ativos e acumula desde o início da pandemia 240.146 diagnósticos confirmados.

A Grande Ilha registrou uma taxa ocupação de 95,22% nos leitos de UTI e 90,67% na enfermaria. A lotação dos leitos públicos em todo estado permanece alta. Em Imperatriz, a taxa está em 94,44% em UTIs e 81,96% na enfermaria. Já nas demais regiões 77,63% de ocupação em leitos de UTI e 57,92% em leitos de enfermaria.

Em meio ao seu pior momento na crise sanitária, o Estado têm determinado novas medidas restritivas, incluindo fechamento de atividades de comércio não essenciais e limitação ou proibição de circulação em determinados horários ou locais.

Dias com maior recorde de mortes no mês de março

  1. – 29 de março: 42 mortes
  2. – 28 de março: 39 mortes
  3. – 25 de março: 39 mortes
  4. – 24 de março: 39 mortes
  5. – 26 de março: 38 mortes
  6. – 23 de março: 38 mortes
  7. – 06 de março: 38 mortes
  8. – 05 de março: 38 mortes