DJs, roadies e técnicos de som são excluídos do auxílio emergencial da Prefeitura de São Luís

Quando falamos do setor cultural e de eventos, temos, ao mesmo tempo uma cadeia produtiva muito importante. Além dos artistas que estão no palco, temos uma equipe por trás necessária para não deixarem a carruagem parar. O que seria de uma banda, grupo, cantor e afins, sem por exemplo um roadie ou técnico de som?

Sabe o que eles fazem? São os técnicos responsáveis que acompanha uma banda para todos os espetáculos. Apoia ou substitui os músicos nas montagens e desmontagens do espetáculo, garantindo que fica tudo tecnicamente bem ligado e como os músicos gostam.

Mensagem recebida pelo artista e DJ Brunno Ximenes.

Além disso, eles também têm família para sustentar em casa. Durante o período carnavalesco, circulam de um lado para outro sem parar e hoje, com a possibilidade em receber um auxílio, são ignorados.

Agora vejamos. Além deles, o que seria da nossa vida sem um DJ para completar a nossa noite? Para uns, os DJs entraram no sentido de organizarem o “buraco”, ao meu ver não, são artistas da mesma forma como outros grandes nomes.

Mas enfim, se analisar o número de DJs que estiveram participando no último Carnaval de São Luís, a lista é grande, mas mesmo assim, eles também foram vetados do Auxílio Emergencial Municipal de Cultura, organizado pela Prefeitura de São Luís.

E agora? Duas semanas sem apresentações nos bares e restaurantes da cidade, sem carnaval e sem algum e qualquer tipo de ato que possa ajudar no sustento de casa.

Eles vão ficar como?

A reclamação que recebemos foi do DJ Brunno Ximenes, lembra dele? Foi o mesmo que teve os seus equipamentos levados durante uma apresentação em uma casa de eventos em São Luís, sem ter culpa, pois seguia o contrato e as responsabilidades são da casa, o DJ, mesmo assim, vive hoje com ajuda dos amigos da classe que emprestam equipamentos para suas apresentações.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.