PF põe ‘Operação Shalom’ contra pastor que ‘clamou por novo holocausto’

A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta sexta-feira, 12, a Operação Shalom, para combater a prática do crime de racismo contra judeus. Agentes cumprem dois mandados de busca e apreensão que foram expedidos pela 8ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro. O principal alvo da operação é pastor Tupirani da Hora Lores, da Igreja Pentecostal Geração Jesus Cristo.

De acordo com a PF, ele já havia sido condenado pela prática e incitação à discriminação religiosa e agora pode responder pela “pela prática, induzimento ou incitação à discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional, quando cometido por intermédio dos meios de comunicação social ou publicação de qualquer natureza”.

Em nota, a corporação destacou que as investigações tiveram início em razão de vídeos publicados na internet, “nos quais o suspeito, além de alimentar o ódio e a intolerância racial, clamou por um novo holocausto, gerando repercussão internacional”.

O nome da operação, “Shalom”, foi escolhido por “fazer alusão à paz”, diz a Polícia Federal. Os materiais colhidos nas diligências serão encaminhados para perícia.

Defesa

A reportagem busca contato com o pastor Tupirani da Hora Lores. O espaço está aberto para manifestações.