O prefeito de São Luís, Eduardo Braide, foi entrevistado nesta segunda-feira (22) no Programa Bom Dia Maranhão, da TV Difusora. Braide destacou o avanço da vacinação na capital e também as ações realizadas pelo município nos 52 dias de gestão.

Braide ressaltou que, antes mesmo do início da gestão, a equipe de transição da prefeitura se organizou e preparou toda a logística para a vacinação. Por isso, logo após a chegada das doses, foi possível começar a vacinação na população.

Até o momento mais de 50 mil doses foram aplicadas, sendo que 40 mil pessoas já tomaram a primeira dose e a segunda dose. “Estamos esperando apenas novas doses para avançar no cronograma que foi feito. Mas pedimos para que os profissionais de saúde que tomaram a primeira dose, tomem a segunda dose para garantir a imunização. Cerca de 500 profissionais não voltaram para tomar a segunda dose”, explicou Braide.

Assim que chegarem novas doses, a estratégia da prefeitura é vacinar idosos a partir de 75 anos, sendo que as doses foram aplicadas em idosos a partir de 83 anos. “Existe uma ameaça clara de uma segunda onda da Covid-19. A prefeitura está fazendo a sua parte, montou uma logística e vai vacinar de forma rápida os profissionais da saúde, estamos só aguardando uma nova remessa”, disse.

Economia

Um dos pontos destacados foi a economia do município. “Primeiras medidas que fizemos foi o Alvará Zero, quando garantimos a isenção do pagamento para mais de 17 mil microempreendedores em São Luís. Além disso, iremos disponibilizar o auxílio municipal do Carnaval para artistas que não se apresentaram por conta do cancelamento das festas. Disponibilizamos 1 milhão de reais para ser pago esse auxílio”, destacou Eduardo Braide.

Outra ação importante foi a entrega de mais de 800 cestas básicas para os trabalhadores informais que deixaram de trabalhar no Carnaval. “Estamos realizando uma série de ações para vencer essa pandemia”, disse.

O prefeito anunciou que irá realizar a abertura do Posto de Saúde do São Cristóvão e realizou a entrega do posto de saúde do João Paulo, que estava fechado há quatro anos. Outra ação foi a entrega de 50 leitos exclusivos para tratamento de Covid-19, no Hospital da Mulher, sendo 40 leitos de enfermaria.