Governo define fluxo de atendimento a casos suspeitos de infecção pela nova variante

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) definiu um fluxo de atendimento na rede estadual para a identificação e o monitoramento da nova variante do SARS-CoV-2. Os casos suspeitos de infecção pela nova variante serão identificados a partir da consulta em uma das portas de entrada para atendimento a pacientes com sintomas da Covid-19. O objetivo é agilizar tanto a assistência quanto a identificação dos casos.

Na capital, as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) definidas para pacientes com sintomas da Covid-19 são: Parque Vitória, Vinhais, Araçagy, Cidade Operária e Paço do Lumiar. No interior do estado, o fluxo de atendimento tem início em Unidades Básicas de Saúde definidas pelos municípios. Todos os municípios foram orientados acerca da Nota Técnica da SES que orienta essa assistência específica.

Devem buscar a assistência os pacientes com sintomas da Covid-19, como febre, tosse e dor de cabeça persistentes, falta de ar e perda de olfato e paladar.

A superintendente de Epidemiologia e Controle de Doenças, Tayara Costa Pereira, destaca que a preocupação da SES é orientar os pacientes e as unidades da rede estadual de saúde. Ela acrescenta que um dos objetivos da organização do fluxo é detectar e monitorar a ocorrência de casos decorrentes destas novas variantes, para fins de vigilância epidemiológica e acompanhamento ativo dos casos.

“Ao organizar o atendimento a esses casos específicos, garantimos a assistência adequada aos pacientes e conseguimos detectar com maior agilidade os casos de infecção pela nova variante, considerada ainda mais contagiosa”, enfatiza.

A avaliação médica irá definir se o paciente é considerado um caso suspeito de infecção pela nova variante. Um dos critérios considerados é se o paciente esteve em cidades com confirmação da circulação da nova variante, como Manaus, capital do Amazonas. A partir da suspeita, o paciente é encaminhado para a realização do teste RT-PCR. A amostra será enviada para o Laboratório Central de Saúde Pública do Maranhão (Lacen-MA) para análise.

Também faz parte do fluxo de atendimento a investigação dos contatos próximos dos pacientes suspeitos, que será realizada pela Vigilância Epidemiológica Municipal. Todos os fluxos de rastreamento estão sendo conduzidos segundo a Nota Técnica 2021/01 – Rede Genômica Fiocruz/Ministério da Saúde, que trata sobre nova variante do Sars-CoV-2.