Featured Video Play Icon

O Programa Bom Dia Maranhão, com apresentação do jornalista Eduardo Ericeira, recebeu o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, para falar sobre a previsão de chegada das novas vacinas no estado e também sobre os novos leitos que serão disponibilizados para atender os casos de Covid-19 no Maranhão.

De acordo com o secretário, o Ministério da Saúde divulgou ontem, em reunião com os governadores, que um cronograma será realizado até o final do ano. Com isso, o Maranhão conseguirá vacinar toda a sociedade, caso o cronograma seja cumprido.

“O Ministério garantiu no cronograma que até o fim de fevereiro serão 11 milhões de doses e, em março, 50 milhões de doses, o que já adiantaria muito nosso plano de imunização”, disse o secretário.

Na capital, as vacinas foram suspensas por falta de doses e o secretário informou que foram inúmeros os motivos para que isso acontecesse. “Não seguiram o cronograma do Ministério e adotaram outros critérios e acabou levando para outros fluxos, mas tudo isso porque não tem dose suficiente e acabamos pagando o preço pela falta de planejamento do Ministério da Saúde, quando apostou somente em uma vacina”, destacou Carlos Lula.

Segundo ele, os municípios receberam vacinas para aplicar primeira e segunda doses, sendo que a garantia da imunização é somente com a aplicação das duas doses. “Não adianta sair vacinando de forma desenfreada e não seguir um planejamento, pois assim estaremos enganando a população. A pessoa que toma a primeira dose da vacina, já deve sair com a data da segunda dose”, frisou o secretário.

O Ministério da Saúde garantiu, até o final da semana que vem, cinco milhões de doses de vacina para o país. “ É muito pouco para o estado, mas já ajuda nesse processo de imunização para a nossa população”, destacou o secretário.

Novos leitos

Carlos Lula informou que o Estado tem trabalhado arduamente na ampliação de novos leitos e, provavelmente, nas próximas semanas o Maranhão terá mais leitos do que no auge da pandemia em 2020. 54 pacientes serão transferidos do Hospital Carlos Macieira para o Hospital do Servidor, no intuito de aumentar a quantidade de leitos e focar somente nos casos de Covid-19. Além disso, está sendo realizada a conclusão de novos leitos do HCI.

“Os casos continuam e dessa vez com vários casos na faixa de 31 a 50 anos de idade. O pedido que a gente faz é que a hora agora é de ter cuidado e atenção, não é hora de festejar e aglomerar com a nova variante circulando no país”, finalizou.