Primeira etapa do programa Cores da Cidade já muda cenário no Centro Histórico

Cores fortes ou neutras, marcantes e que dão nova cara aos casarões do Centro Histórico de São Luís, deixando a região mais alegre, os imóveis mais preservados e valorizados. Com esse propósito, o projeto Cores da Cidade segue dando cor aos imóveis do bairro histórico. 

Nesta primeira etapa, serão 31 casarões que terão suas fachadas renovadas, com entrega já no mês de março. No momento, 14 imóveis estão com a pintura em fase de finalização. O programa do Governo do Estado é coordenado pelas Secretarias de Estado do Turismo (Setur) e da Cultura (Secma) e integra a macro ação Nosso Centro. 

As cores e intervenções são definidas em acordo com os proprietários dos imóveis, seguindo normas especificadas dos órgãos de proteção ao patrimônio, como o Departamento do Patrimônio Histórico Artístico e Paisagístico (DPHAP), órgão vinculado à Secma. O objetivo é que, além de um belo colorido, as novas fachadas possam estimular ainda mais as visitações de turistas e moradores de São Luís. 

Além disso, o projeto tem como propósito servir de reforço à gestão estadual nas várias ações de revitalização do Centro da cidade, destaca o secretário de Estado de Cultura, Anderson Lindoso. “Para isso, o Governo do Estado desenvolve trabalhos que possibilitam a moradia, visitação e tenha uma economia e sustentabilidade próprias. Assim, mantemos a preservação, estimulamos o sentimento de pertencimento e de valorização do local onde começou a história do Maranhão”, pontuou Lindoso.   

Entre os serviços do projeto estão a recuperação do reboco, pintura das fachadas, além de revitalização e pintura de gradis e esquadrias dos imóveis. Eles estão situados em seis vias, recebendo melhorias nesta primeira etapa: Rua São João, Rua da Cruz, Rua Saavedra, Travessa Jaú, Rua Jansen Muller e Rua Rancho. Mais casarões serão contemplados ao longo das próximas fases do projeto.

“O Centro Histórico de São Luís é um local importante. Um verdadeiro museu a céu aberto, que conta e transpira nossa história, por onde pessoas que fazem nossas tradições e a nossa cultura. Por isso, a importância de mantermos este acervo patrimonial bem preservado, para que as pessoas possam fazer o uso adequado do espaço”, reforçou o secretário da Secma.

O secretário de Estado de Turismo, Catulé Junior, enfatizou que o Centro Histórico é a área mais visitada da capital pelos turistas e, por isso, priorizada nos projetos de revitalização da gestão. “É o que observamos nas pesquisas feitas pelo observatório do turismo. Essa é mais uma ação do Governo do Estado, que embeleza e preserva essa área. Um trabalho que encantará ainda mais quem vem nos visitar”, avalia o gestor.