Pagamento por aproximação é alvo de golpistas

Fazer pagamentos por aproximação é uma prática cada vez mais popular no Brasil. A tecnologia permite que o cliente pague suas compras sem digitar senhas ou inserir o cartão magnético. Mas, essa comodidade também possibilita que criminosos pratiquem fraudes na conta bancária de quem utiliza esse sistema. 

Em 2020 o uso dessa forma de pagamento disparou. Segundo a associação brasileira das empresas de cartões de crédito e serviços, em janeiro, fevereiro e março o crescimento foi de 330% em comparação com o primeiro trimestre de 2019. A pandemia do novo coronavírus só reforçou essa tendência.

O que aumentou também foi o número de fraudes no sistema. Os estelionatários agem de várias formas: através de códigos enviados por e-mail ou SMS, páginas fantasma e ligações telefônicas. Todas essas maneiras podem capturar os dados dos clientes. 

O especialista em perícia digital, Bruno Laerte, explica que é importante que o consumidor fique esperto com a tecnologia, e nunca deixar que terceiros utilizem o cartão. Caso vá em algum lugar cheio, pode ser uma boa desativar o NFC (Near Field Communication), que em português significa “campo de comunicação por proximidade”. 

“Recomendo entrar em contato com o banco e desativar a função caso você vá em algum lugar de aglomeração. Outra possibilidade é fazer uso algumas capinhas revestidas por metal ou algum tipo de material especial e dispositivos podem bloquear a ação das maquininhas”, afirma Bruno.