Featured Video Play Icon

O Secretário Estadual de Saúde, Carlos Lula, esteve na manhã desta terça-feira (12) no Programa Bom Dia Maranhão, e falou sobre a atualização do plano de vacinação no estado contra a Covid-19. Para o secretário, essa não é uma disputa sobre quem começa primeiro, pois a vacinação é um processo coletivo.

“A vacinação é um processo coletivo e é fundamental que o Brasil inteiro tenha condição de receber a vacinação ao mesmo tempo. O Maranhão está tentando e se articulando não para sair na frente, mas para acelerar o processo de imunização quando alguma vacina for autorizada pela Anvisa”, disse o secretário.

Segundo Carlos Lula, a rede estadual de saúde está preparada para realizar a imunização. “Ainda não temos a data para receber essas vacinas que serão adquiridas pelo Governo Federal, mas já nos adiantamos com o nosso Plano Estadual de Vacinação e a aquisição de insumos. Já temos 4 milhões de agulhas e seringas e todo o planejamento está pronto para a realização dessa campanha no Maranhão”, destacou. 

O Plano Estadual de Vacinação trata de ações como a capacitação de profissionais da saúde, a logística de distribuição e armazenamento, as estratégias para a imunização, os grupos prioritários para a primeira fase da campanha e a estimativa de vacinas necessárias.

De acordo com o secretário, nos próximos dias, o Governo Federal deve anunciar a data do início da vacinação, que deve acontecer de forma simultânea em todos os estados da Federação.  

“A partir desse anúncio, o nosso desafio é fazer com que todo o processo de imunização aconteça com agilidade e segurança. E nisso levamos uma enorme vantagem, pois estamos acostumados a fazer campanhas de vacinação. O Maranhão dispõe de mais de dois mil locais de vacinação, isso quer dizer que temos capacidade para imunizar milhares de pessoas por dia. Estamos nos antecipando para que tudo esteja pronto para a imediata vacinação assim que o Ministério da Saúde disponibilizar as vacinas”, afirmou o secretário Carlos Lula.

Após o recebimento das doses que virão de Fortaleza para São Luís, as vacinas serão armazenadas na Rede de Frio do Estado, localizada em São Luís. Em seguida, a SES fará a distribuição em até três dias para as Regionais de Saúde por transporte aéreo.