Flávio Dino anuncia abono de R$ 350 aos profissionais da saúde

O Governador do Maranhão, Flávio Dino, anunciou que destinou abono de R$ 350 aos profissionais da saúde, a ser pago ainda em dezembro. Quem tiver dois vínculos com o Estado, receberá duplamente. Cerca de 25 mil profissionais serão beneficiados com a medida.

“Um prêmio de dimensões financeira, mas, sobretudo, afetiva. É mais uma forma que encontramos de agradecer. E agradeço muito aos profissionais de saúde do Maranhão”, enfatizou o governador Flávio Dino.

Durante coletiva, Dino fez um balanço de 2020 e destacou a distribuição de mais de 300 mil cestas básicas de alimentos, ação coordenada pelo Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão. Na geração de emprego e renda, a criação do plano Celso Furtado, que já destinou R$ 429 milhões em ações; medidas na compra de produtos da economia familiar, em obras de infraestrutura, na recuperação de rodovias, asfaltamento de vias, entre outros. Foram geradas 18.820 vagas de trabalho, sendo o quarto maior crescimento do Brasil.

“O Maranhão está no quarto ano seguido de alta na geração de empregos formais. O saldo positivo revela estarmos no caminho certo, cuidando da vida, da saúde e do emprego”, pontuou Dino. O governador citou medidas de apoio ao setor empresarial – descontos em impostos, parcelamento de tributos, prorrogação de certidões negativas; e aprovação de auxilio emergencial para catadores maranhenses, no valor de R$ 400. “São trabalhadores em maior vulnerabilidade, que tiveram queda na sua atividade, por conta do coronavírus, e de forma pioneira implantamos essa medida”, disse.

Algumas medidas também foram anunciadas, que entram em vigor a partir de fevereiro de 2021. Entre estas, o programa Cheque Minha Casa, com valor de R$ 600, para compra de móveis e eletrodomésticos; e o programa Trabalho Jovem, que vai possibilitar contratação deste público, viabilizando a inserção no mercado. Expansão na rede de saúde, com implantação da Policlínica em Açailândia, abertura de leitos de UTI em Barreirinhas e mais 50 novos leitos no Hospital Aquiles Lisboa. 

Cenário do coronavírus

Na situação atual da pandemia, o Maranhão se mantém na condição de estabilidade e com ocupação de leitos – clínicos e de UTI – abaixo de 30%. “O Maranhão é reconhecido nacionalmente como um dos Estados que melhor têm enfrentado a pandemia. Temos um dos melhores desempenhos do país, com menor letalidade. Menos mortes em relação aos casos ocorridos”, destacou o governador Flávio Dino. O governo está entre os quatro estados do país nessa condição, sendo os demais Minas Gerais, Bahia e Paraná. 

Flávio Dino citou as campanhas contra a vacinação, que classificou como irresponsáveis. “Quando criança, tive doenças consideradas comuns e que meus filhos já não tiveram, por conta da vacinação. O brasileiro caiu no delírio que vacina faz mal. Isso não existe. Temos institutos sérios tratando deste tema, a exemplo do Butantã, que tem 120 anos de atuação. Se os especialistas em vacina nos disserem que pode ser aplicada, iremos à busca”, afirmou. 

Na ocasião, o secretário de Estado de Saúde (SES) Carlos Lula atualizou sobre o processo de vacina. “Ao longo das últimas semanas, o Governo Federal perdeu tempo. Vários países tentaram comprar várias vacinas e o Brasil apostou em uma só. Um erro, mas infelizmente postura adotada pelo Ministério da Saúde e que, agora, estamos tentando reverter”, explica. Carlos Lula pontuou que “todo o diálogo foi feito e, agora, dependemos única e exclusivamente do Ministério da Saúde”.