Featured Video Play Icon

O Governo do Estado realizou nesta quinta-feira (17) uma ação de saúde e assistência social voltada para a profissionais do sexo e moradores do bairro do Desterro, localizado na região central de São Luís. Durante a ação, foram oferecidos diversos serviços como: aferição de pressão, teste de glicemia, teste rápido para detecção da Covid-19, HIV, Sífilis e Hepatite, consultas médicas com clínico geral e ginecologista, além de suporte psicológico.  

De acordo com a diretora administrativa da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Vinhais, Carol Hortegal, a ação foi realizada em alusão ao Dezembro Vermelho, mês de conscientização e combate à AIDS, com o objetivo de promover a saúde levando vários serviços para os moradores e mulheres que são profissionais do sexo. 

“Fizemos uma visita e constatamos a necessidade que elas têm de receber esses atendimentos. Por isso tivemos a ideia de trazer a Carreta da Mulher para cá, ofertando diversos serviços e promovendo a saúde, com vários atendimentos médicos que vão de atendimentos ginecológicos até psicológico”, destacou Carol Hortegal. 

Para a representante da Associação de Prostitutas do Maranhão (APROSMA) e do movimento “Por Elas Empoderadas”, Maria de Jesus, a parceria com os órgãos públicos é muito importante na prestação de serviço para essa parcela da população que é tão excluída socialmente. “Hoje é um dia muito importante para nós, pois precisamos ter esse olhar para as pessoas menos favorecidas e que estão um pouco mais distantes da saúde, visto que a maioria trabalha a noite. Portanto, isso é um dever do Governo e nosso, enquanto movimento organizado, de estar pleiteando a saúde para quem está longe dela”, afirma a Maria de Jesus. 

Uma das beneficiadas com a ação foi a Ethiene Silva, de 42 anos. Ela conta que por cinco anos trabalhou como profissional do sexo e essa era a única renda da casa. Hoje, ela também faz parte do movimento “Por Elas Empoderadas” e trabalha como vendedora ambulante, mas continua lutando pela causa.  

“Esse tipo de ação é muito importante, pois as pessoas costumam ignorar essa parcela da população. Tem mulher que nem sabe onde fica um hospital e não tem nenhum tipo de atendimento médico, que é muito importante nessa profissão”, conta Ethiene.  

A comunidade também aproveitou os atendimentos oferecidos. “Com a pandemia, fiquei com medo de ir à hospitais, pois tenho sobrepeso e pressão alta, por isso, hoje eu estou aproveitando para fazer todos os exames oferecidos”, conta a autônoma Terezinha de Jesus, de 55 anos.  

Também foi disponibilizado apoio social para atender as necessidades de continuidade em diversos tratamentos. Nos casos de exames positivos, o tratamento foi prescrito e iniciado logo após os resultados dos testes. Foram ofertados ainda exames laboratoriais e de imagem, assim como vacinação, distribuição de lanches, kits de higiene íntima e preservativos.  

Ação foi organizada pelos profissionais de saúde da UPA do Vinhais em parceria com outras instituições, como o Hospital de Referência Presidente Vargas, Casa de Apoio Acolher, Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) Lira do Município de São Luís, Secretaria de Estado da Mulher (SEMU), Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (EMSERH) e Associação de Mulheres Profissionais do Sexo (APROSMA).