Prefeito Edivaldo inaugura Centro Ambiental Ribeira – São Luís

O prefeito Edivaldo Holanda Junior transformou o antigo lixão da Ribeira em uma área de beneficiamento de resíduos sólidos e incentivo à sustentabilidade com a inauguração, nesta terça-feira (15), do Centro Ambiental Ribeira – São Luís. No local foram instalados um Galpão de Triagem de Materiais Recicláveis, um Pátio de Compostagem de Resíduos Orgânicos e uma Usina de Beneficiamento de Resíduos da Construção Civil que vão garantir o reaproveitamento de 7.300 toneladas de resíduos por mês. Além disso, o Centro de Educação Ambiental também implantado na área vai fortalecer as políticas de incentivo à reciclagem na capital.

“Esse é o encerramento de um ciclo que iniciamos na nossa primeira gestão para dar fim a um dos maiores gargalos sociais e ambientais da nossa cidade. Tínhamos um lixão, que desativamos em 2015, que era um local de degradação ambiental e humana e que agora é um espaço moderno”, disse Edivaldo Holanda Jr.

Acompanharam o prefeito Edivaldo a primeira-dama, Camila Holanda; o vice-prefeito, Julio Pinheiro; a presidente do Comitê Gestor de Limpeza Urbana, Carolina Moraes Estrela; o secretário de Estado de Meio Ambiente e Recursos Naturais, Diego Rolim, o vereador eleito, Batista Matos, e representantes de entidades de catadores de materiais recicláveis, de ONGs e institutos que atuam na causa ambiental.

Para o vice-prefeito Julio Pinheiro, São Luís avança mais que grandes cidades rumo à sustentabilidade porque esta é uma das prioridades da gestão do prefeito Edivaldo. “Esta gestão entendeu que o lixo tem importância social, econômica, humana, ambiental e que apenas recolher e descartar corretamente nos aterros não traz benefícios. Por isso, tem feito investimentos constantes para transformar esta realidade”, afirmou.

CENTRO AMBIENTAL

O Centro Ambiental Ribeira – São Luís está instalado em uma área de 60 hectares onde foram construídos os quatro equipamentos que compõem sua planta. O Galpão de Triagem de Materiais Recicláveis irá beneficiar até 10 toneladas por dia de recicláveis: papel/papelão, vidro, metal e plástico. Com o uso de esteira rolante para seleção do material, enfardadeiras, prensa de papel e papelão, máquina de compactação de latinhas, fragmentadora de papel e triturador de vidro o galpão funcionará de forma semi-mecanizada e o resíduo beneficiado ficará no padrão exigido pela indústria da reciclagem

No Pátio de Compostagem de Resíduos Orgânicos serão processadas 90 toneladas mensais de frutas, legumes e verduras recolhidos de feiras livres e mercados públicos, além do resíduo de poda e capina que é descartado nos Ecopontos e os de origem dos serviços de capina e roçagem realizados diariamente pela Prefeitura. O adubo fabricado será doado aos pequenos produtores rurais para fortalecer a agricultura familiar.

A Usina de Beneficiamento de Resíduos da Construção Civil tem capacidade de processar até sete mil toneladas mensais de resíduos, produzindo até seis subtipos diferentes de insumos: pedras tipo 1, 2 e 3, pedrisco, areia, rachão e bica corrida. Este material voltará para a cadeia produtiva em obras executadas pela Prefeitura, gerando economia de recursos para os cofres municipais

Para que o centro seja também uma área de incentivo à reciclagem e sustentabilidade foi construído um Centro de Educação Ambiental voltado para que estudantes de escolas públicas da rede municipal ou estadual e da rede privada e população em geral passem por atividades que incentivem uma mudança de hábito em relação à geração de resíduos. O local também permite que gestores públicos de qualquer parte do país possam entender todo o processo realizado pela gestão e partir daí pensar em novas políticas de limpeza urbana.