Intenção de consumo em São Luís segue crescendo, segundo levantamento da Fecomércio

O índice de intenção de consumo voltou a apresentar variação mensal positiva no levantamento realizado em novembro na capital maranhense. De acordo com o estudo realizado pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Maranhão (Fecomércio-MA), a perspectiva de consumo do ludovicense apresentou um crescimento mensal de +2,0%, puxado pela avaliação sobre a perspectiva profissional (+7,4%) e condições da renda atual das famílias (+3,3%).

Os resultados positivos são reflexos da aceleração da recuperação do mercado de trabalho, que em outubro obteve um saldo de 1.918 empregos formais em São Luís, sendo somente o comércio responsável pela geração de 1.033 postos de trabalho com carteira assinada no mês. Com isso, os números vêm causando um efeito positivo sobre a avaliação do consumidor sobre a sua capacidade de renda e refletindo na evolução da intenção de consumo mês a mês.

Nesse sentido, segundo a Fecomércio, apesar da persistência dos impactos econômicos da crise sanitária gerada pela pandemia, a perspectiva é que o comércio local mantenha a tradição de ter dezembro como o mês de maior concentração do volume de vendas. “Desde a flexibilização e reabertura das atividades econômicas no mês de julho, o comércio de São Luís vem conseguindo subir degrau a degrau da escada da recuperação econômica. Alguns setores estão conseguindo trilhar esse caminho de volta de forma mais acelerada, outros ainda enfrentam dificuldades. No entanto, acreditamos que o mês de dezembro ampliará o alcance desses resultados positivos sobre as vendas para um número muito maior de segmentos comerciais”, explica o Superintendente da Fecomércio, Max de Medeiros.

Números

O levantamento do índice de intenção de consumo das famílias (ICF), que é medido mensalmente pela Fecomércio, marcou em novembro 49,6 pontos, o melhor resultado desde a retomada do comércio em julho, quando o índice era de 47,8 pontos. Apesar disso, quando comparado com dezembro de 2019, o indicador de otimismo do consumidor apresenta uma variação negativa de -44,3%, demonstrando que a pandemia ainda é um desafio para o setor empresarial atrair de volta a confiança do ludovicense.

A pesquisa mostra também que a tendência para as vendas de fim de ano deverá seguir no caminho dos produtos com valores mais baixos. Enquanto no ano passado a intenção de gastos crescia +6,5%, este ano a avaliação do consumidor para a compra de produtos com valor agregado mais alto e bens duráveis recuou -12,0%.

Para a Fecomércio, a lista de presentes deste ano deverá estar concentrada nos artigos de vestuário e acessórios, brinquedos, itens de perfumaria e calçados. “O perfil do consumidor será mais moderado com os gastos em função do cenário de incertezas. Além disso, temos um nível de endividamento que bate recorde nos nossos indicadores, pressionando o aumento da inadimplência em São Luís. Isso tende a afetar o nível dos gastos. Mas a boa notícia é que temos um consumidor que aos poucos vai recuperando essa confiança no consumo e dezembro será um mês importante para o comércio local”, finaliza o Superintendente.