Comissão da OAB-MA vai investigar caso de racismo contra publicitário na Ponta d’Areia

A Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Maranhão (OAB-MA), vai investigar um caso de injúria racial e homofobia registrado neste domingo (29), contra o publicitário Marcondes Soares, de 37 anos, em um flat no bairro da Ponta d’Areia, em São Luís.

De acordo com Marina Lima, presidente da Comissão de Direitos Humanos, é necessário aguardar a conclusão do inquérito policial. “A conduta observada no caso concreto deve ser regida nos termos da lei 7716/89 de antirracismo, que pune quem pratica preconceito ou discriminação com pena de reclusão de 1 a 3 anos e multa. Todavia é necessário ratificar que o caso ainda está em série de inquérito policial, necessário aguardar a conclusão”, afirmou.

O presidente da Comissão da Verdade Sobre a Escravidão Negra da OAB/MA, Erik Moraes, afirmou que a Comissão também investigará o caso para tomar as medidas cabíveis após a vítima ser ouvida na sede do órgão.

As ofensas teriam partido de uma hóspede identificada como Karina Ferreira Lima, de 23 anos, natural de Araguaína, no Tocantins. Karina chegou em São Luís há pouco tempo e trabalhava como garota de programa.

Segundo Marcondes, as palavras de ódio foram proferidas, após ele ter orientado que Karina usasse o banheiro feminino. Depois de insistir, o publicitário conta que começaram os xingamentos. “Não percebeu que eu não quero falar com você? Que eu não fui com a sua cara? Seu preto”, disse.

O caso foi denunciado pelo publicitário e Karina foi levada para prestar depoimento, no entanto, negou todas as acusações. Contudo, a jovem acabou sendo encaminhada para o Complexo Penitenciário de Pedrinhas.