Juízes, promotores, fiscais de partidos e eleitores participam de processo de auditoria de urnas

Seis urnas eletrônicas foram sorteadas para o processo de auditoria para garantir a segurança no processo de votação do segundo turno das eleições municipais 2020. O processo é acompanhado por juízes, promotores, fiscais de partido e eleitores.

O juiz Nilo Ribeiro, por exemplo, foi o responsável pela realização de um dos procedimentos. O juiz participou na seção 300 da 2ª zona eleitoral.

Além disso, as mesmas seis urnas serão usadas para uma votação paralela, essa votação consiste na simulação dos votos com urnas oficiais alimentadas com as listas oficias de candidatos e de eleitores.

As 3 primeiras urnas sorteadas serão submetidas à auditoria de funcionamento das urnas eletrônicas sob condições normais de uso, que ocorre na sede do Tribunal, no horário da votação oficial.