Maranhão está acima da média nacional em déficit de inserção de negros no mercado de trabalho

Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (IBGE), do 2º trimestre de 2020, 55% da população do Brasil é composta por pessoas negras. No entanto, a quantidade populacional e as oportunidades de ingresso no mercado de trabalho contrastam significativamente, é o que aponta pesquisa realizada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE).

O Maranhão e o Piauí são os estados do nordeste com maior percentual de população negra (82%). O Maranhão é o maior estado em casos de homens (67%) e mulheres (62%) em situação de trabalho sem carteira assinada, autônomos e trabalhadores familiares auxiliares. Em seguida estão os estados: Piauí (homens: 62%; mulheres: 59%); Ceará (homens: 59%; mulheres: 55%) e Paraíba (homens: 59%; mulheres: 53%). Esse percentual coloca esses três estados acima da média nacional em situação de trabalho desprotegido que é de 45% de homens e 44% de mulheres.

A taxa de ocupados em cargos de direção de pessoas negras é de 1,8% para mulheres e de 2,1% para homens, já observando esse cenário para outra etnias os percentuais são diferentes. Homens e mulheres de outras etnias ocupam 4,7% dos cargos de direção.

Quando o assunto é a subutilização da força de trabalho as estatísticas assombram. No Brasil, a média é de 40,5% de mulheres negras e 29,4% de homens negros. Já no nordeste, o percentual é de 49,4% das mulheres negras e 39,4% dos homens negros que não trabalham ou trabalham menos do que gostariam.
Sob a óptica de pessoas de outras etnias os percentuais são diferentes, com diferença de quase 10%. De acordo com o DIEESE, 39,2% das mulheres estão em subutilização de trabalho, enquanto 31,7% dos homens estão na mesma situação.

Quando o assunto é rendimento médio a oscilação é perceptível. Mulheres negras costumam ter rendimento inferior a de mulheres de outras etnias, a diferença é de 760 reais de um grupo para outro. Com os homens também acontece o mesmo, homens negros recebem 924 reais a menos do que homens de outras etnias. Confira:
Mulheres negras: R$ 1.345
Mulheres de outras etnias: R$ 2.105
Homens negros: R$ 1.542
Homens de outras etnias: R$ 2.466

Confira os infográficos: