Conselho Regional de Psicologia do Maranhão se manifesta sobre caso Mariana Ferrer

O caso da influenciadora digital Mariana Ferrer ainda repercute em todo o Brasil. No Maranhão, o Conselho Regional de Psicologia do Maranhão (CRP-MA) manifestou-se por meio de nota sobre o ocorrido afirmando que o caso confirma o “processo de progressiva vulnerabilização das mulheres em nosso país”.

Em nota o CRP-MA ressaltou os constantes casos de feminicídios, violência contra mulher (de toda natureza) e o quanto o isolamento social, recorrente da pandemia, vitimou milhares de mulheres no país.

O órgão repudiou a sentença de estupro culposo dada ao empresário André de Camargo Aranha acusado de estuprar a influenciadora digital Mariana Ferrer em 2018, numa festa. O Conselho Regional de Psicologia afirmou que os danos causados às vítimas de estupro têm consequências em diversas áreas das vítimas.

“A violação de direitos produz sofrimento psíquico e reafirma que o estupro, além de se caracterizar como um crime que envolve violência sexual, tem, em si mesmo, dimensões de profundos danos psíquicos, emocionais e morais. Neste contexto, se torna imperativo que seja combatido de todas as formas mais veementes quanto possíveis”, ressaltou o CRP-MA.