Polícia investiga se mais pessoas estão envolvidas em assassinato de morador de rua

A Superintendência de Homicídio e Proteção à Pessoa (SHPP) está apurando se mais pessoas possam estar envolvidas no crime no resultou na morte de um morador de rua, no mês de maio deste ano.

O empresário suspeito de torturar e matar Carlos Alberto Santos, 34 anos, foi preso no dia 27 de outubro e permanece preso no Complexo Penitenciário de Pedrinhas. De acordo com a perícia, o homem já havia sido espancado antes de ser arrastado vivo por três quilômetros, onde muitas ruas antigas têm calçamento de paralelepípedos.

ENTENDA O CASO

A vítima foi arrastado pelas ruas do Centro Histórico de São Luís. O suspeito ainda passou com o veículo por cima da vítima. A motivação seria porque o morador teria roubado o estabelecimento várias vezes. Foi descoberta a identidade do dono do veículo, um empresário que tem uma rede de restaurantes na região do centro da cidade. Depois do crime, o empresário fugiu para São Paulo e retornou meses depois, logo sendo preso.

Á época, imagens de câmeras de segurança flagraram o momento em que o morador foi arrastado pela rua de Santana. O dono do veículo, chega a iniciar uma conversa e até toma um café enquanto a vítima segue amarrada ao veículo e o abandona somente no Terminal de Integração da Praia Grande.