Atlético de Madrid cede empate ao Lokomotiv na Rússia

Por Felipe Rosa Mendes

Tentando se firmar como a segunda força do Grupo A, o Atlético de Madrid empatou com o Lokomotiv Moscou por 1 a 1, nesta terça-feira, pela Liga dos Campeões. Jogando na Rússia, o time espanhol esteve abaixo do esperado, criou boas oportunidades, mas não conseguiu obter sua segunda vitória na competição europeia.

Mesmo assim, sustenta a segunda colocação da chave, com quatro pontos, dois abaixo do Bayern de Munique, que ainda visita o Salzburg nesta terça. Já o time de Moscou tem dois pontos e figura no terceiro posto do grupo.

Na próxima rodada, o Atlético enfrentará novamente o Lokomotiv, desta vez em Madri, no dia 25. No mesmo dia, Bayern e Salzburg jogarão mais uma vez, em solo alemão.

Vestindo azul, o Atlético de Madrid fez um duelo equilibrado com o Lokomotiv Moscou na disputa informal pela segunda posição do Grupo A – dificilmente um dos dois times terá condições de superar o Bayern na chave. E, apesar do favoritismo do time espanhol, as duas equipes criaram boas chances de gol ao longo dos 90 minutos, sem predomínio do Atlético.

No primeiro tempo, o time de Madrid partiu para cima, liderado por Luis Suárez e João Félix. E fez o goleiro Guilherme, brasileiro naturalizado russo, trabalhar. Aos 17, Hector Herrera cruzou com precisão e Jose Gimenez cabeceou com firmeza para o fundo das redes: 1 a 0.

O gol parecia fazer o Atlético deslanchar em campo. Até que, aos 23, a arbitragem anotou pênalti favorável aos russos, com ajuda do VAR. Na cobrança, Anton Miranchuk mandou no canto direito do goleiro Jan Oblak, rasteiro, e empatou o duelo. A igualdade não fez o time espanhol desanimar. Aos 30, Suárez iniciou bela jogada que culminou em finalização de Angel Correa. A bola acertou o travessão.

O segundo tempo teve a mesma movimentação do primeiro, mas sem os lances mais agudos. O brasileiro Renan Lodi, convocado para a seleção brasileira, tinha bom desempenho tanto defensivo quanto ofensivo. Porém, sem desequilibrar. Suárez e Félix ganharam marcação reforçada na etapa final e o time russo passou a atuar mais retrancado na parte final do jogo.

Os últimos dez minutos foram um duelo franco entre o ataque atleticano e a defesa russa, que tentava arriscar nos contra-ataques, também sem sucesso.

Informações do Estadão conteúdos