PF identifica superfaturamento em licitação para compra de máscaras em São Luís

A Polícia Federal deflagrou nesta sexta-feira (30) mais uma fase da operação que investiga a suspeita de fraudes na compra de máscaras descartáveis, em São Luís. A ação “Oficina Desmascarada” é mais uma fase da operação “Cobiça Fatal”.

“Também deflagramos uma outra associada a essa, a partir de um compartilhamento de provas obtidas na primeira fase, que identificou fraudes, irregularidades e superfaturamento em outro processo de compra de máscaras vencido por outras empresas. Que relacionam outros servidores públicos, investigados nem na primeira, nem na segunda fase da operação Cobiça Fatal”, disse o chefe da Delegacia de Repressão à Corrupção da Polícia Federal no Maranhão, Júlio Sombra.

Servidores da Secretaria de Saúde e empresas envolvidas são investigados. De acordo com a Polícia Federal, esta fase da operação investigou processo de licitação feito em maio desde ano para a compra de 240 mil máscaras. Duas empresas maranhenses venceram a licitação, uma oficina mecânica em São Luís e outra do ramo de produtos de higiene e expediente, na cidade de Matinha.

Foram apreendidos documentos, celulares e dois carros de luxo. Duas pessoas foram presas, uma em cumprimento a mandado de prisão temporária e outra em flagrante. O material apreendido e as prisões são relacionados a empresas envolvidas na fraude; nenhum servidor está preso.

De acordo com a PF, pelo menos 12 pessoas foram ouvidas, entre servidores e representantes das empresas investigadas. Além disso, foram 17 mandados de busca e apreensão, 7 de medidas cautelares diversas de prisão, como afastamento da função pública. As ordens judiciais foram determinadas pela 1º Vara Federal de São Luís.

O jornalismo da TV Difusora solicitou nota à prefeitura de São Luís sobre o caso, mas até o fechamento desta matéria nenhum posicionamento foi divulgado.