Filha que engravidou do pai temia denunciá-lo por medo de suposta retaliação

A titular da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), Adriana Meireles, confirmou na tarde desta quarta-feira (28) que a adolescente de 13 anos que engravidou do próprio pai já passou por perícias médicas e psicossocial.

“Na perícia psicossocial ela confirmou que desde os 9 anos era abusa sexualmente pelo pai, e com 13 anos chegou a engravidar dele. Ela também relatou que temia muito se o pai fosse preso, por que ela poderia ser responsabilizada por essa prisão, tendo em vista que ele era o único provedor da família. Como o pai negava os abusos e a paternidade, foi colhido todo o material genético da vítima, do autor, e da filha que ela teve – que hoje está com dois anos”, informou a delegada.

O laudo do Instituto de Genética Forense (IGF) afirma que “a probabilidade dele ser o pai dessa criança é de 300 septilhões de vezes a mais do que qualquer outra pessoa no país”, garantiu a titular da DPCA.

A prisão preventiva dele, a partir de então, foi representada pela Polícia Civil e decretada pela justiça do Maranhão. “Nós vamos oficiar todos os órgãos de proteção à criança e ao adolescência, para que eles façam o acompanhamento nessa família. Tanto com relação à subsistência, como pra evitar que alguém na família responsabilize ela por essa prisão do autor”, assegurou.

A delegada Adriana Meireles conversou com a repórter Andressa Miranda, da TV Difusora.

Segundo o diretor do IGF, Lucio Cavalcante, após a autoridade policial encaminhar a vítima para o Instituto Médico Legal (IML) – em caso da vítima ser maior de idade – ou ao Instituto de Perícias da Criança e ao Adolescente – se for menor de idade. “Lá [médicos] coletam o material biológico e encaminham para o IGF”, disse.

No caso da paternidade criminal, através de mandado judicial, o suspeito é obrigado a coletar material padrão que, a partir dos dois materiais coletados, é feito o confronto. O laudo, a partir de então, é remetido para a autoridade que solicitou.

O diretor do IGF também falou com o jornalismo da TV Difusora