Featured Video Play Icon

A Junta Interventora do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen), no Conselho Regional de Enfermagem do Maranhão (Coren-MA), lançou nota de repúdio após declarações e ataques proferidos pelo médico Kayke Paiva em uma rede social, contra os profissionais da saúde.

Nos stories, Kayke menospreza a atuação dos profissionais de Enfermagem e chega a falar que “enfermeiro tem que se f***r lá… A noite toda, enfermeiro e técnico” e ainda completa a declaração dizendo “Quer ser liso? faz enfermagem”. Na sequência, possivelmente para uma colega de trabalho, o jovem afirma que é uma “brincadeira” e que “cada um tem seu espaço, o gari, o porteiro, o maqueiro”, alega.

“Reiteramos também que, devido à pandemia, situação que deixou em tamanha evidência a profissão de Enfermagem para o mundo, em razão da posição que esse profissional ocupa na linha de frente no combate à Covid-19, receber ataques desta natureza demonstra o quão desinformado este cidadão é para a sociedade”, diz nota disponível no site do Coren-MA.

Ainda, o Conselho Regional de Enfermagem repudiou “a participação de uma profissional de Enfermagem em um episódio tão lamentável quanto esse, que deveria demonstrar a importância da Enfermagem”. O Coren finaliza nota reiterando que reprova as “declarações do profissional médico Kayke Paiva, que desconhece os limites de sua atuação e afirma que tomará medidas cabíveis que o caso requer”.

O Conselho Regional de Medicina do Maranhão (CRM-MA) ainda não se manifestou sobre o caso, mas disse por telefone ao portal MA10 que já ciente do caso. A entidade deve divulgar nota, ainda nesta quarta-feira (28), sobre providências que serão tomadas em relação ao médico.

Após a repercussão do caso, Kayke chegou a pedir perdão aos enfermeiros pela fala equivocada e que “em momento nenhum” desrespeitou a profissão. “Acredito que sem ela não há saúde, pois um hospital não funcioa sem os enfermeiros. Quando mencionei o termo ‘XERECARD’ quis dizer que talvez vender o corpo seja uma boa ideia para ganhar dinheiro já que a enfermagem está tão desvalorizada. Pois vejo o sofrimento da minha mãe, irmã e namorada ganhando pouco, trabalhando em condições precárias, sendo maltratadas pelos médicos em geral que são ignorantes na sua maioria. Já presenciei diversas cenas como essa, não tirei da minha cabeça”, afirmou.

O médico ainda enfatizou que a intenção era de promover humor e que não pretendia “humilhar ninguém, muito menos difamar profissão alguma”. O perfil de Kayke já não consta mais no Instagram mas, antes disso, ele tinha cerca de 11 mil seguidores e, na descrição, afirmava ter “1 milhão na conta” e que estaria “aposentado aos 26 anos”.

A Universidade Federal do Maranhão (UFMA), também publicou nota de repúdio após o caso. Veja abaixo na íntegra:


A Universidade Federal do Maranhão, tendo em vista o caso de publicação, em rede social, pelo profissional médico Kayke Paiva, de ofensas à profissão de Enfermagem, vem a público expressar o seu repúdio a tal conteúdo, ao mesmo tempo em que afirma o enorme valor dos profissionais de Enfermagem para a estrutura de saúde.

A formação em Enfermagem é tão vital quanto qualquer outra da cadeia da saúde e, como tal, merece o devido respeito e reconhecimento.

É importante ressaltar que a opinião desse profissional, preconceituosa e inconsequente, não representa o conjunto da categoria médica, que tem se pautado pelo sentimento de trabalho conjunto entre os profissionais da área de saúde.

A UFMA, como entidade formadora e efetivadora da saúde no Estado do Maranhão, com cursos de Medicina e Enfermagem em três dos seus nove campus, tem pautado a sua formação pelo respeito e senso de valorização e coletividade entre todos os profissionais que forma. E lamenta profundamente situações desse tipo.

São Luís, 27 de outubro de 2020.

Natalino Salgado Filho
Reitor