TSE detecta 3,7 mil desempregados que fizeram doações a candidatos

De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral as doações realizadas para candidatos a prefeito e vereador possuem alguns indícios de irregularidades. Cerca de R$ 25 milhões foram doados a candidatos para as eleições deste ano. 3.793 desses doadores estão desempregados, desse nicho o total doado é de 15,9 milhões de reais. Outro grupo de doadores que chamou a atenção do TSE são aqueles cuja renda é incompatível com o valor doado – são 782 casos que totalizam R$ 6,4 milhões.

Além disso, 775 fornecedores sem registro ativo na Junta Comercial ou mesmo na Receita Federal receberam R$ 1,3 milhão por serviços prestados a candidatos às eleições deste ano. Há, ainda,  217 empresas que receberam um total de R$ 471,3 mil e têm relação de parentesco com algum candidato.

O relatório do TSE traz ainda informações de cinco pessoas que doaram juntas R$ 6,8 mil e que constam do Sistema de Controle de Óbitos (Sisobi), responsável por coletar informações de óbitos dos cartórios de registro civil de pessoas naturais no país.

O levantamento foi realizado pelo Núcleo de Inteligência da Justiça Eleitoral, com base na prestação de contas parciais encerrada no último domingo (25). O núcleo é composto pelo Tribunal Superior Eleitoral, a Receita Federal, o Conselho de Controle de Atividades Financeiras, o Ministério Público Eleitoral, a Defensoria Pública Federal, o Tribunal de Contas da União e o Ministério da Cidadania. O levantamento apontou que são quase sete mil indicativos de problemas tanto no pagamento a prestadores de serviços quanto no recebimento de doações.

Os indícios de irregularidades foram encaminhados à Procuradoria-Geral da República para compartilhamento destas informações com as Promotorias Estaduais para fins de apuração dos indícios.

O resultado da primeira rodada de identificação de indícios de irregularidades em relação à prestação de contas feitas pelos candidatos foi informado aos órgãos que compõem o Núcleo de Inteligência da Justiça Eleitoral para atuação em suas respectivas áreas de competência.

*Com informações da Ascom