Jornalista é encontrado com múltiplas fraturas após sequestro em Roraima

Por Paola Carvalho

O jornalista Romano dos Anjos, da TV Imperial, afiliada da Record TV em Roraima, foi encontrado nesta terça-feira, 27, após ter sido sequestrado na noite de ontem.

Dos Anjos foi localizado na região da Vicinal do Bom Intento, zona rural de Boa Vista. Primeiramente, havia o relato de que ele teria sido encontrado por um agricultor, mas a polícia retificou a informação. De acordo com a investigação, ele foi localizado por um servidor terceirizado da Roraima Energia. Segundo a testemunha, Dos Anjos foi abandonado embaixo de uma árvore ainda pela noite, sem água e comida, com o rosto vendado e mãos amarradas.

A testemunha contou à polícia que passou pelo local por volta das 8h30, para checar os relógios de energia na região. Ele se deparou com o jornalista apenas de bermuda, com sinal de agressões. Dos Anjos foi então levado ao Hospital Geral de Roraima.

O apresentador é conhecido por comandar o programa Mete Bronca, com cobertura de casos policiais e denúncias de irregularidades. De acordo com a Segurança Pública de Roraima, a principal linha de investigação é de que o sequestro seria uma ação do crime organizado.

“Foram identificadas múltiplas fraturas em membros superiores e inferiores. Não teve fratura exposta, mas múltiplas lesões. Chegou a informação de que a vítima estava com a língua cortada, mas não houve esse tipo de lesão. No momento, ele está sem correr risco, mas permanece internado e está sob os cuidados de uma equipe multidisciplinar”, informou um representante da unidade hospitalar.

Sequestro

Segundo o delegado-geral da Polícia Civil de Roraima, Hebert Amorim, três homens invadiram a residência do jornalista por volta das 20h. O trio pulou o muro da casa e rendeu o apresentador e a mulher, Nattacha Vasconcelos, enquanto ambos estavam se preparando para jantar.

“Ele [Romano] disse que nem chegou a comer. Passou horas sem beber água. Disse também que eram três pessoas inicialmente. Segundo ele, um dos sequestradores tinha sotaque e dizia ser do Sindicato, uma facção criminosa da Venezuela. Ele contou que, a todo momento, perguntavam se ele tinha dinheiro e disse que foi levado de casa no veículo e que uma quarta pessoa chegou depois, em uma caminhonete. E essa pessoa teria sido responsável pelas agressões”, afirmou.

Sobre o segundo veículo envolvido, a Polícia Civil disse que solicitou imagens das câmeras de segurança localizadas nos arredores da residência do casal. O delegado ressaltou ainda que foram encontradas marcas de pneus na região do Bom Intento e que o celular da mulher de Romano continua desaparecido. O aparelho telefônico do jornalista foi encontrado.

Apesar dos indícios, o delegado informou que não descarta qualquer outra possibilidade, inclusive de que a ação esteja conectada com a profissão do jornalista, que apresenta um programa de TV policial ou ainda, que o crime tenha conotação política.

“Não podemos descartar nenhuma linha de investigação. Devido ao modo operandis, tudo leva a ser que é uma facção organizada, mas temos que levantar todas as hipóteses. A situação do trabalho dele, a relação com facções criminosas”, afirmou Amorim.

Informações do jornal O Estado de S. Paulo