Defesa civil deve decretar interdição total ou parcial do Terminal da Praia Grande em reunião

A reforma no Terminal da Praia Grande voltará a ser pauta de discussão durante reunião na próxima quarta-feira (28). De acordo com o juíz Douglas de Melo Martins, da Vara de Interesses Difusos e Coletivos, uma audiência foi realizada na quinta-feira passada para definir que o consórcio vencedor do processo licitatório será o responsável pela reforma das plataformas 1 e 2.

De acordo com o juíz Douglas de Melo Martins a reunião da próxima quarta-feira (28) será para definir, por meio de laudo da Defesa Civil, estadual e municipal, se o terminal será interditado totalmente durante as obras, ou se ele permanecerá com 50% do espaço sendo ocupado por passageiros.

“Determinei que a defesa civil estadual e municipal façam um relatório circunstancial detalhado esclarecendo se o terminal pode ser reformado ou não apenas parcialmente interditado ou se há necessidade de interdição total. Não podemos é ficar nessa situação de insegurança. Toda hora surge alguém para dizer que tem risco de desabamento no terminal ou não tem risco de desabamento no terminal. Só existe uma maneira de se resolver isso” afirmou o juíz.

Segundo Douglas de Melo Martins a solução é o relatório da Defesa Civil.

“Já que está resolvido quem vai reformar o terminal até dezembro, agora a audiência é específica para tratar da interdição total ou não”, alegou o magistrado.

Devem estar presentes na reunião representantes do Ministério Público, da Defesa Civil, do Corpo de Bombeiros Militar, da Agência Estadual de Mobilidade Urbana e Serviços Públicos e as secretarias de transporte do município e do estado.

Confira o vídeo do juíz Douglas de Melo Martins na íntegra e entenda o caso: