China planeja sanções contra fornecedores de armas dos EUA por venda a Taiwan

O governo da China disse nesta segunda-feira, 26, que vai impor sanções a fornecedores de armas dos EUA, incluindo a unidade de defesa da Boeing e a Lockheed Martin, por terem fechado um contrato de venda com Taiwan. A Raytheon Technologies e “indivíduos americanos relevantes” ligados à venda também serão punidos, afirmou o porta-voz do Ministério de Relações Exteriores chinês, Zhao Lijian. Ele não detalhou as possíveis penalidades e também não disse quando serão aplicadas.

“A fim de salvaguardar os interesses nacionais, a China decidiu impor sanções às empresas americanas envolvidas na venda de armas a Taiwan”, disse Zhao. Taiwan é considerada por Pequim como parte do território chinês. Na semana passada, o Departamento de Estado dos EUA aprovou o contrato com Taiwan, que prevê a venda de armas e equipamentos por cerca de US$ 1,8 bilhão.

Com informações da Agência Estadão