Featured Video Play Icon

Motoristas do transporte coletivo da cidade de Imperatriz, cruzaram os braços e paralisaram as atividades nesta segunda-feira (19). Algumas das principais linhas de ônibus não saíram das garagens e muitos usuários foram pegos de surpresa.

De acordo com os rodoviários, diversos direitos e pagamentos estão sendo negados pela empresa aos motoristas que também reclamam do suposto sucateamento dos transportes públicos em que trabalham.

Por meio de nota, repassada ao jornalismo da TV Difusora Sul, a RaTrans informou que foi surpreendida com a greve, já que não houve um comunicado prévio, nem a presença do sindicato da categoria e não foi realizada a manutenção de uma frota mínima para atender a população.

Confira na íntegra:

A RATRANS informou, por meio de nota, que foi surpreendida com um movimento ilegal de greve, sem comunicado prévio do mesmo, sem a presença do Sindicato obreiro, e sem a manutenção de uma frota mínima para atender a população. Houve uma reunião entre a empresa e os motoristas envolvidos, em que ficou acordado o retorno ao trabalho dos motoristas escalados no período da manhã, e com relação aos demais, a empresa irá se reunir para analisar as alegações dos mesmos e identificar se há alguma irregularidade. Desde já, a empresa esclarece que cumpre com suas obrigações trabalhistas e fiscais, e que não há débitos em face a seus colaboradores.

O presidente da Ratrans, Gilson Neto, esteve na sede da empresa, localizada na BR 010 setor Entroncamento, conversando com o grupo de rodoviários que aderiu à greve, e após uma reunião com os motoristas, ficou definido o retorno ao trabalho dos motoristas escalados no período da manhã.

Já em relação aos demais trabalhadores, será realizada uma nova reunião para ouvir as alegações. A empresa reforça ainda por meio de nota, que não há débitos com os trabalhadores.