Dia Internacional da Menina: entenda melhor essa causa

Você sabia que anualmente cerca de 12 milhões de meninas casam-se antes de completar 18 anos de idade? E que, de acordo com a Organização das Nações Unidas, cerca de 130 milhões ainda estão fora da escola? E que além disso, quase 15 milhões de adolescentes entre 15 e 19 anos são forçadas a uma experiência sexual?

Visando mudar esse cenário, promover os direitos e mostrar os desafios enfrentados pelo grupo em todo o mundo foi instituído, desde 2011, pela Organização das Nações Unidas (ONU) o Dia Internacional da Menina. A proposta é chamar a atenção para os direitos das meninas em todo o mundo.

Neste ano a Organização das Nações Unidas (ONU) destacou a data incentivando importância da diversidade de expressão das crianças e adolescentes, diversidade essa que elas apresentam em relação a geografia, etnia, raça, idade e deficiência.

A ideia é promover o empoderamento das meninas e a garantia dos diretos a uma infância sadia, além de atrair a atenção sobre as necessidades dessas crianças e adolescentes.

De acordo com a ONU em 2021, cerca de 435 milhões de mulheres e meninas viverão com menos de US $ 1,90 por dia. Entre elas estarão 47 milhões que tenham sido empurradas para a pobreza devido à pandemia.

A ONU está preocupada com a questão da violência física ou sexual que afeta um terço das mulheres em todo o mundo. Com a Covid-19, esses atos contra mulheres e meninas tendem a piorar, particularmente em casa. 

Já não fosse suficiente isso, a Organização das Nações Unidas afirma que em pelo menos 20 países, quase nenhuma jovem pobre e rural completa o ensino médio. A partir dessas e de outras tantas necessidades fundamentais à vivência com qualidade e com saúde física, emocional e com a sexualidade preservada, que o dia 11 de outubro foi instituído para reforça a luta dessas crianças e adolescentes.