PMMA vai apurar conduta de militar suspeito de agredir mulher no Centro de São Luís

Registros gravados nesta segunda-feira (05) mostram uma mulher negra jogada no chão sendo agredida, com apertos e empurrões, por quase oito minutos, por um policial militar do Maranhão. O caso aconteceu na Praia Grande, região central de São Luís.

Na gravação, é possível perceber a presença de dois policiais militares, um em pé, no celular e com uma mão na arma; o outro, imobilizando a mulher, apoiando o peso do corpo contra o peito dela. Testemunhas relatam que ela estava saindo de uma roda de samba na mesma rua.

Logo no início da gravação, aparece um homem negro, de camiseta e bermuda, gritando para a mulher: “Ele é policial, porra”. Em seguida, esse mesmo homem fala para o policial “Assim não”, mas o policial que está em pé entra na sua frente.

Para tentar contornar a situação, ele diz: “Eu vou filmar então, eu vou filmar”. Nesse momento, o policial que estava em cima da mulher a levanta e empurra contra a parede falando “Você vai para a delegacia. Você vai entrar na viatura comigo”.

Durante a cena, a mulher tenta se mexer e sair daquela situação, mas o PM responde: “Não faz isso, eu vou te machucar”. O homem de bermuda e camiseta começa a filmar e fala: “Eu tenho o direito de filmar”. O outro policial tenta impedir a filmagem, enquanto diz “não reage” para a mulher.

O PM que imobiliza a mulher diz ainda: “Você me xingou, você vai aprender a não xingar policial em serviço”. Como resposta, a mulher diz “Você me chamou de puta”.

Depois de vários minutos, de choro e discussão, chegam mais quatro policiais de capacete. Três vão para perto do homem com trajes civis e um para perto do PM, que segue imobilizando a mulher. Do Metrópoles.

Confira abaixo a nota na íntegra da PMMA:

A Polícia Militar do Maranhão (PMMA) ressalta que não compactua ou mesmo legitima condutas cujas ações em nada coadunam com os princípios profissionais e éticos que orientam as atividades dos integrantes de toda a corporação.

De acordo com o boletim de ocorrência registrado no Plantão Policial das Cajazeiras – Centro de São Luís, a mulher foi contida por um policial, com o qual possui desafeto pessoal, após ter quebrado o coldre do militar e sacado a arma deste. Ainda segundo o boletim, o objetivo era impedir que ela efetuasse disparos contra o PM e demais pessoas que se encontravam na cena do fato.

O Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) será encaminhado à justiça para demais procedimentos legais acerca do caso. A PM informa, ainda, que os procedimentos administrativos cabíveis acerca da conduta policial vão ser adotados pela Corregedoria da corporação, para apurar o caso.

Pedimos, por gentileza, a confirmação do recebimento.