Organização que mantinha correspondente bancário de fachada teria movimentado R$ 70 mil

Duas pessoas que se passavam por funcionários de correspondentes bancários e atuavam na cidade de Imperatriz, a 626 quilômetros da capital maranhense, foram presas em flagrante.

De acordo as investigações, os suspeitos recebiam boletos e contas e simulavam os pagamentos. Os documentos, então, não eram compensados pois os criminosos não tinha vínculo com instituições financeiras e todo o dinheiro arrecadado era destinado à organização criminosa. A polícia estima que o bando já teria arrecadado mais de R$ 70 mil.

Os supostos estelionatários usavam uma loja de fachada, que também não tinha alvará de funcionamento. Segundo a polícia, a loja havia sido aberta havia menos de uma semana, no lugar de outra com funcionamento similar.

Foram apreendidos cartões de crédito, centenas de boletos bancários das vítimas, uma máquina de autenticação mecânica e aproximadamente R$ 26 mil. Os presos também são investigados no estado do Goiás pelos mesmos crimes.