Novavax inicia fase 3 de testes de vacina e terá 25% de idosos entre voluntários

Por Redação

A empresa farmacêutica Novavax iniciou a fase 3 de sua vacina contra a covid-19, a NVX-CoV22373. O estudo ocorrerá no Reino Unido, em parceria com a força-tarefa de vacinas do governo. A expectativa é de imunizar 10 mil pessoas entre 18 e 84 anos, com ou sem comorbidades, nas próximas seis semanas. O estudo foi projetado para ter pelo menos 25% dos participantes com mais de 65 anos, bem como priorizar os grupos mais afetados pela doença, incluindo minorias raciais e étnicas.

Metade dos participantes receberá duas injeções intramusculares de vacina com 5 microgramas de antígeno e 50 microgramas do adjuvante Matrix-M, administradas com 21 dias de intervalo, enquanto metade dos participantes do estudo receberá placebo.

“Com um alto nível de transmissão de SARS-CoV-2 observado e esperado para continuar no Reino Unido, estamos otimistas de que este ensaio clínico fundamental da fase 3 será registrado rapidamente e fornecerá uma visão de curto prazo da eficácia da NVX-CoV22373”, disse Gregory M. Glenn, presidente do Departamento de Pesquisa e Desenvolvimento da Novavax. “Espera-se que os dados deste ensaio estejam de acordo com as submissões regulatórias para licenciamento no Reino Unido, UE e outros países. Somos gratos pelo apoio do Governo do Reino Unido, incluindo o Departamento de Saúde e Assistência Social e do Instituto Nacional de Pesquisa em Saúde, para o avanço desta importante pesquisa”.

A Novavax aumentou a capacidade de fabricação da vacina para 2 bilhões de doses por ano. A NVX-CoV22373 foi desenvolvida a partir da sequência genética do SARS-CoV-2, que causa a covid-19 A partir daí, são gerados antígenos para aumentar a resposta imune.

Vacinação de crianças

Na semana passada, o Estadão publicou que quando uma vacina contra a covid-19 estiver disponível à população, é provável que os adultos sejam imunizados primeiro. As crianças, grupo de menor risco para o novo coronavírus, entraram há pouco tempo em testes clínicos pontuais – dos quatro autorizados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), apenas um engloba pessoas a partir de 16 anos.

No Brasil, entre os testes clínicos autorizados, o que engloba participantes mais jovens é o da vacina produzida pela Pfizer junto com a BioNTech, que vai avaliar o produto em pessoas a partir dos 16 anos. Já a vacina elaborada pela Universidade de Oxford e a AstraZeneca, considerada uma das mais promissoras, incluiu idosos e crianças de 5 a 12 anos nos testes de fase 2 em maio deste ano apenas no Reino Unido.