Cúpula de segurança monitora mais de 100 alvos na Grande Ilha

Os dados foram apresentados pela Secretaria de Segurança Pública do Maranhão (SSP-MA) durante coletiva de imprensa realizada nesta segunda-feira (28) em São Luís. Ao todo, 52 pessoas foram durante a operação Ilha Segura que iniciou na última quinta-feira (24).

Ainda durante coletiva, o Secretário de Segurança Pública, Jefferson Portela, afirmou que a polícia está monitorando mais de 100 alvos, além de 4 lideranças de facções criminosas com forte atuação na capital. Em todo o estado, 70 pessoas foram presas desde o início das operações policiais ostensivas.

Segundo informações do levantamento das polícias civil e militar que se dividiram em diversos bairros durante operação mostram que:

  • Operação Parque Seguro – 20 pessoas foram presas;
  • Operação Coroadinho Seguro – 6 presos;
  • Operação Ribamar Segura – 22 presos; 1 rifle 44 e 2 escopetas calibre 12 apreendidas;
  • Operação em Presidente Dutra – 18 presos e apreensão de 215 mil reais, além de veículos e arma de fogo;
  • Operação contra homicidas (25/09) – 4 homicidas presos e diversas armas de fogo apreendidas.

O secretário explicou que os comandos integrados continuam fiscalizando e desenvolvendo ações de controle em toda região metropolitana. “Seguiremos com as operações na área sul, para verificar as guarnições posicionadas, o policiamento nos locais previamente determinados e por ventura prender quem se encontre em flagrante delito. Esse grupamento é formado pelos dirigentes do sistema de segurança, os comandos gerais, os dirigentes de área, que deixaram momentaneamente as funções administrativas para fazer o policiamento externo, para retirar das ruas todos aqueles que queiram ter práticas antissociais”, afirmou Jefferson.

Operação Ilha Segura

Ações de enfrentamento contra a criminalidade foram desencadeadas pelas polícias militar e civil de forma integrada realizaram policiamento preventivo e ostensivo na região metropolitana de São Luís.

Foram para as ruas um forte contingente, para garantir a tranquilidade dos cidadãos. O próprio secretário de Segurança Pública, Jefferson Portela, o comandante da PMMA, coronel Pedro Ribeiro, e o Delegado Geral da Polícia Civil, Armando Pacheco, participaram das operações contra o crime.

A ação foi realizada em diversos horários do dia e à noite de forma mais incisiva nas principais avenidas e bairros da região metropolitana de São Luís. Foram feitas abordagens em coletivos e veículos suspeitos. O aparato policial também foi até os Terminais de Integração da capital.

Fim de semana

O fim de semana foi marcado por muita violência, mortes e ações policiais de combate.

Foi executado neste sábado (26) na rua 15 do bairro Cidade Olímpica, em São Luís, um homem identificado como “Jovem”. A vítima estava em uma quitinete, em companhia da mulher e da filha, quando foi surpreendida pelos criminosos. Após a conclusão de todos os procedimentos no local, o corpo foi conduzido para o Instituto Médico Legal (IML).

Durante a madrugada deste domingo (27), uma mulher identificada como Rosany Fernanda Silva Alves, de 23 anos, morreu após ser atropelada após ser atropelada por uma caminhonete preta, na Avenida São Luís Rei de França, sentido Olho D’Água / Turu, em São Luís.

Segundo informações de populares, o condutor do veículo estaria embriagado. O corpo da jovem foi removido do local pelo Instituto Médico Legal (IML). De acordo com informações policiais, e o motorista fugiu do local e deve se apresentar nesta segunda (28) à polícia.

Neste domingo (27), um homem foi morto a tiros próximo ao Conchas Bar, na Avenida Litorânea, em São Luís. Ele teria sido atingido durante confronto entre facções rivais e, segundo informações policiais, fazia parte de uma delas.

Os envolvidos teriam chegado em motocicletas. Após o homicídio, em ação rápida da polícia, nove suspeitos foram capturados pela Polícia Militar. Quatro armas que estavam com os suspeitos foram apreendidas. O suspeito morto era líder de facção na Vicente Fialho e, segundo a polícia, ele havia assumido o controle da área há pouco tempo, descontentando integrantes do grupo criminoso rival.