Comunidades quilombolas do MA vão receber investimento que ultrapassa R$ 30 milhões

As comunidades quilombolas do Maranhão foram contempladas com unidades escolares, integrando o programa Escola Digna coordenado pela Secretaria de Estado da Educação (Seduc). A série de obras do programa ultrapassa os R$ 30 milhões e beneficia ainda povoados, assentamentos e aldeias indígenas. O Escola Digna substitui espaços em condições precárias por novas estruturas, de alvenaria.

O Governo do Estado firmou parcerias para ampliar e fortalecer a Rede de Comércio Virtual no Maranhão. A iniciativa vai garantir que empreendimentos de mulheres, comunidades tradicionais, quilombolas e artesãos do estado tenham espaço específico para vender suas produções na plataforma Rede Solidária de Comércio Virtual (ReSolVi). A iniciativa tem coordenação da Secretaria de Estado de Trabalho e Economia Solidária (Setres).

Por meio do programa de Compras da Agricultura Familiar (Procaf), produtores estão investindo na piscicultura e recebendo apoio do Governo do Estado. “É um canal de comercialização que ajuda e incentiva famílias a produzir muito mais”, diz a agricultora familiar Nilvane dos Santos, da comunidade remanescente de quilombo Capoeira, em Viana. No local vivem 97 famílias, e com o auxílio, estão entregando cerca de seis toneladas de peixe.

“Além de facilitar o comércio dos produtos, a plataforma está “linkada” com o Selo Quilombos do Maranhão e outros selos de qualidade e de origem, que garantem os produtos a partir de uma produção sadia e sustentável”, destaca o secretário da Secretaria de Estado Extraordinária da Igualdade Racial (Seir), Gerson Pinheiro.

Comunidades quilombolas dos povoados de Santa Cruz, Santo Antônio, Marcelino e Cantinho, receberam curso de manipulação de alimentos realizados pela Secretaria de Estado do Turismo (Setur). A região tem vocação para a fabricação de cocada, doce de buriti e caju.