Polícia procura arma utilizada pelos suspeitos de assassinar motorista em São Luís

Os dois suspeitos de terem participado do latrocínio do motorista de ônibus Francisco Carlos da Silva Teixeira, de 37 anos, no último sábado (19) em São Luís, foram levados pela polícia nesta quarta-feira (23), até o local onde possivelmente teriam descartado os objetos roubados durante assalto ao coletivo e também a arma utilizada no crime.

De acordo com o delegado da Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP), Felipe César, o trabalho realizado pela polícia teve como objetivo traçar toda a trajetória de fuga que os suspeitos tiveram após o assassinato do motorista.

Além disso, ainda segundo o delegado, esse procedimento é fundamental para para sanar qualquer dúvida a respeito do crime. “Nossa intenção é reinquirir os dois pra tirar qualquer dúvida sobre o fato criminoso, porque temos até agora as imagens internas do coletivo, e de acordo com as imagens, algumas ações não correspondem com o que os suspeitos afirmaram durante depoimento. Por isso os trouxemos até aqui”, afirmou o delegado.

Durante a ação, somente alguns documentos dos passageiros que foram tomados de assalto foram encontrados no local. Quanto a arma utilizada no crime, Felipe César disse que a informação é de que a arma do crime foi entregue a uma outra pessoa. Diante disso, a polícia está trabalhando agora no sentido de localizar quem ficou com o objeto e recuperar a arma para poder solucionar esse crime por completo.

Entenda o caso

Um motorista de ônibus foi morto a tiros durante um assalto, no bairro Cohama, no último sábado (19). Segundo testemunhas, Francisco Carlos da Silva Teixeira, de 37 anos, não teria parado o coletivo próximo ao elevado para a descida dos criminosos. Os suspeitos, então, teriam pulado a catraca e disparado na cabeça da vítima, que não resistiu aos ferimentos. Os envolvidos na ação já foram capturados e, segundo a polícia, confessaram o crime.

Em nota a empresa Ratrans afirmou que está “prestando todo o apoio à família de Francisco” e que a empresa “também está acompanhando o desdobramento do caso junto à Secretaria de Segurança Pública”.

Na manhã do último domingo (20), rodoviários fizeram paralisação para reivindicar mais segurança aos trabalhadores. Durante o ato, ônibus que deixaram as garagens se concentraram na rua das Cajazeiras.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.