Home Maranhão Estádio Nhozinho Santos está em fase de finalização de reforma

Estádio Nhozinho Santos está em fase de finalização de reforma

Estádio Nhozinho Santos está em fase de finalização de reforma

O Estádio Municipal Nhozinho Santos está no estágio de finalização da obra antes de ser entregue novamente à população, provavelmente, no mês de agosto. Durante sete décadas de história, é a primeira vez que o “Gigante da Vila Passos” recebe ampla reforma. A intervenção, realizada pela Prefeitura de São Luís, tornou o estádio mais moderno e adaptado para pessoas com deficiência.

“O Estádio Nhozinho Santos é um importante espaço da história de São Luís, pelo qual a população tem muito carinho e boas lembranças. Por meio do São Luís em Obras, adequamos toda a arena para comportar com conforto e segurança os amantes do futebol maranhense. Vamos entregar um novo estádio à população”, destacou o prefeito Edivaldo.

Com 100% da infraestrutura civil pronta, a Secretaria Municipal de Desporto e Lazer (Semdel) trabalha, agora, na instalação dos sistemas de vídeomonitoramento e som, além da implantação de uma área extra aos vestiários, equipada com grama sintética, para o aquecimento dos esportistas, sem que precisem se deslocar até o campo antes do início da partida.

Após a reforma, o estádio vai contar com um sistema de iluminação mais eficiente, além de mais econômico, todo em LED. O alambrado existente também foi substituído por um de vidro temperado, que dará mais segurança ao público. Além disso, os banheiros e vestiários também ganharam novas louças sanitárias e foram modernizados.

O Estádio Nhozinho Santos também recebeu nova pintura, interna e externamente. Além disso, as equipes realizaram uma obra de recuperação e reforço estrutural em toda a arena; portas e portões também foram trocados. Também corrigiram as fissuras nas estruturas de aço existentes, substituíram equipamentos que não tinha mais utilidade para manter intacta a infraestrutura e realizaram a impermeabilização de todo o estádio, que tinha, pelo menos, 130 pontos de infiltração, o que ameaçava a estabilização do prédio e a segurança dos frequentadores.